Publicado em 16/08/2010 as 12:00am

ENTREVISTA - Ivete Sangalo se prepara para turnê nos EUA

A cantora baiana diz que gravar DVD na terra do Tio Sam é o maior projeto de sua carreira

 

Por Luciano Sodré

 

A cantora Ivete Sangalo, recordista de público no Brasil, está com apresentações marcadas para o mês de agosto em Massachusetts. Um dos shows mais aguardados do ano, a baiana promete “apimentar e colocar um tempero a mais na vida dos brasileiros que moram nesta região.

O show está marcado para o dia 1º de setembro e acontecerá no DCU Center, em Worcester. Os ingressos estão á venda através dos sites www.ivetesangalo.com/usa, www.ticketmaster.com ou no escritório de onde acontecerá o evento. Para obter mais informações pode ligar para o telefone (800) 745-3000.

Em uma entrevista ao jornal Brazilian Times, a cantora relatou a emoção de se apresentar nos Estados Unidos e falou sobre alguns de seus projetos.

 

Brazilian Times – Fazer uma apresentação nos EUA traz o que em retorno para o currículo de um artista?

Ivete Sangalo - Uma turnê internacional confirma, ainda mais, a premissa que o artista tem ir aonde o povo está. O mundo é nossa casa e assim será nos EUA. 

 

Brazilian Times –Alguns artistas chegaram ao sucesso no Brasil depois de se lançarem no exterior. Em sua opinião, por que isso acontece?

Ivete Sangalo - Por conta de uma hierarquia mercadológica. Em se tratando de EUA e Europa, eles têm um poder de proliferação desses artistas maior que o nosso.

 

Brazilian Times – O nome Ivete Sangalo está associado não apenas ao talento e sim à simpatia e irreverência. Você acredita que estes atributos são os responsáveis pelo sucesso?

Ivete Sangalo -Eles, associados entre si, sem dúvida nenhuma. Não consigo dissociar talento de carisma e simpatia. Sou uma fã que acredita nessa soma e penso que meus fãs sentem a mesma coisa.

 

Brazilian Times – Você iniciou sua carreira aos 17 anos de idade, cantando em barzinhos. Como você é uma pessoa extremamente ligada ao povo, alguma vez pensou em gravar um CD ou DVD em barzinhos (se não, acabei de dar uma idéia)?

Ivete Sangalo - Nunca pensei em gravar um DVD, mas já pensei em fazer uma surpresa e levar minha banda a bares de Salvador. Isso ainda está em mente, mas não para agora.

 

Brazilian Times – Você já vendeu milhões de discos e chegou a fazer mais de 30 shows por mês, como suportar esta rotina?

Ivete Sangalo - Não cheguei exatamente a 30 shows, mas já cheguei ao meu limite. Hoje entendo que muitas vezes menos é mais. Na época que tinha essa rotina me expus ao máximo musicalmente, emocionalmente e fisicamente. Não acho que isso seja adequado para mim agora, mas em algum momento foi e não me pergunte como lidei com isso. 

 

Brazilian Times – Você se tornou conhecida na banda Eva. Depois que resolveu seguir carreira solo, ainda continua mantendo contato com os integrantes da banda?

Ivete Sangalo - Alguns deles vieram comigo, mas não tenho o mesmo contato que tinha antes. Não temos o mesmo contato que tinha antes, mas sempre que a gente se encontra é muito gostoso.

 

 

Brazilian Times –  Você está acostumada a cantar para milhares e milhares de pessoas, no Brasil. O público brasileiro nos EUA não é tão grande, mas tenta passar a mesma euforia. Você sente alguma diferença?

Ivete Sangalo - Não se pode dimensionar amor, alegria ou empolgação. Isso tem muito a ver com a cultura do lugar. Quando há respeito há de se sentir todas as boas sensações é isso que espero nos EUA. 

 

Brazilian Times –O que seus fãs podem esperar para esta turnê nos Estados Unidos e o que você espera dos seus fãs?

Ivete Sangalo - É um dos grandes projetos da minha carreira esse DVD no Madison. Tenho me dedicado muito espero que o público possa captar tudo de bom que estou colocando nesse projeto. Será uma festa inesquecível. 

 

Brazilian Times – O que você diria se eu subisse no palco e te apresentasse assim “Com vocês a grande Veveta”?

Ivete Sangalo - Seria a confirmação da boa relação que eu tenho com meu público. Se meu público me reconhece pelo apelido, isso diz que temos intimidade.

 

Fonte: (Da redação)