Publicado em 20/08/2010 as 12:00am

Flórida tem sua primeira candidata feminina

O Estado da Florida tem sua primeira candidata a Representante da Comunidade Brasileira nos EUA. Adriana Sabino é Arquiteta e fundadora do Centro Cultural Brasil - USA da Flórida (CCBU), acaba de lançar sua candidatura oficial as eleições para Represe

 

Por Claudia Carmo

O Estado da Florida tem sua primeira candidata a Representante da Comunidade Brasileira nos EUA.  Adriana Sabino é  Arquiteta e fundadora do Centro Cultural Brasil - USA da Flórida (CCBU),  acaba de lançar sua candidatura oficial  as eleições para Representante.

Adriana Sabino é Carioca, formada em arquitetura na UFRJ. No Brasil casou-se com  um  mineiro, e se mudou  para Belo Horizonte,  onde teve um escritório de arquitetura com duas sócias até 1983, quando se mudou  para os EUA.

 Em entrevista, exclusiva ao Brazilian Times, ela conta um pouco da sua historia e fala sobre suas propostas, se for eleita,  representante da comunidade.

 

Brazilian Times - Há quanto tempo mora nos EUA e porque resolveu sair do Brasil para morar aqui?

Adriana - Vim para os EUA em 1983 acompanhando meu marido, que veio fazer um curso em N.Y. Mudamos para Miami, por motivos profissionais, do meu marido.

 

 Brazilian Times - Por que você se candidatou a Representante da Comunidade Brasileira?

Adriana - Desde 1997 quando fundei, com outros voluntários o Centro Cultural Brasil-USA venho divulgando o Brasil, e criando espaços importantes para a comunidade brasileira do Sul da Flórida.   Eu me candidatei porque acho que posso ajudar a criar um canal eficiente de contato entre os brasileiros e o governo brasileiro, levando as diferentes necessidades e problemas de todos nós que vivemos fora do país e buscando soluções para nossos problemas de cidadania brasileira. Afinal nós, brasileiros do mundo somos um valioso patrimônio para o Brasil e devemos contar com os  benefícios e serviços que os brasileiros residentes no Brasil contam. Como Representante dos Brasileiros nos EUA vou usar minha experiência de organização comunitária e contatos adquiridos ao longo destes anos como Presidente do Centro Cultural Brasil - USA,  para identificar os problemas das nossas comunidades brasileiras,  levá-los ao governo brasileiro, e buscar soluções viáveis.

 

Brazilian Times - O que você já fez em benefício da comunidade Brasileira?

 Adriana - Fundei em 1997, junto com outros voluntários o Centro Cultural Brasil - USA da Flórida (CCBU), uma organização sem fins lucrativos, cuja missão é divulgar e promover cultura brasileira.  Como presidente do CCBU eu sempre procurei usar a cultura brasileira como um instrumento de inserção dos brasileiros na comunidade multinacional do Sul da Flórida e para abrir e ocupar espaços para nós brasileiros. O CCBU tornou-se uma referencia na comunidade multinacional de Miami e um parceiro de organizações governamentais e culturais americanas. Por isso fomos um elemento fundamental na criação do primeiro e único programa bilíngüe e bi-cultural de imersão no sistema escolar público americano, o programa português-inglês da escola Ada Merritt, em Miami que encerrou o ano letivo de 2010 com 250 estudantes do kindergarten à oitava série.   Quando o sistema escolar público se interessou pela comunidade brasileira, procurou o CCBU para sugestões. Participei de inúmeras reuniões promovidas por um dos representantes do School Board e, embora o sistema escolar público de Broward não estivesse pronto para criar um programa bilíngüe, sugeri, e foi criado, uma versão em português no portal do sistema escolar público. Uma conquista importantíssima para as famílias brasileiras residentes no Condado de Broward.  As iniciativas do CCBU sempre visam colocar os brasileiros do Sul da Flórida como gente que veio contribuir para tornar a comunidade local melhor. Assim, nossas atividades abrem espaço de prestígio e criam oportunidades para a comunidade brasileira, dentro da sociedade americana.

 

Brazilian Times - Qual é a sua profissão e formação?

Adriana - Sou formada em arquitetura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e fiz um curso de pós-graduação em Urbanismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Desde 1989 tenho minha própria companhia de planejamento e decoração de interiores: Adriana Sabino Interiors, Inc. www.adrianasabinointeriors.com

 

 Brazilian Times - Quais são as suas propostas e projetos como representante da comunidade?

Adriana - Minhas propostas e projetos são os seguintes:  Organizar grupos de representação de cada comunidade. Identificar os problemas e as necessidades de cada comunidade, juntamente com os grupos de representação. Criar projetos de ensino e manutenção de língua portuguesa e cultura brasileira adequados à realidade de cada local onde existam famílias brasileiras, com o apoio do Ministério da Educação e do Itamaraty. Identificar as oportunidades que existam para criar parcerias entre o governo brasileiro e o governo americano e criar convênios e parcerias que beneficiem os brasileiros residentes nos EUA nas áreas de educação, saúde, trabalho e aposentadoria.

 

Brazilian Times - Você já tem alguma proposta, a qual vai trabalhar na sua campanha?

 Adriana - A minha proposta é mostrar que nós brasileiros fora do Brasil, pela experiência de vida que adquirimos, pela exposição à outra cultura e outra língua, e pelo dinheiro que enviamos de volta para o nosso país, nos tornamos um patrimônio muito valioso para o Brasil. Como tal, devemos ser valorizados e apoiados nas nossas necessidades, aqui no exterior, ou no caso de retorno ao nosso país.

Fonte: (Da redação)