Publicado em 3/09/2010 as 12:00am

Brasileiros demonstram apreensão pela chegada do furacão à MA

O Centro Nacional de Furacões (NHC) dos EUA decretou, nesta quinta-feira(02), alerta de perigo, em função da chegada do furacão Earl para o litoral de Massachusetts, próximo à Cape Cod

 

O Centro Nacional de Furacões (NHC) dos EUA, decretou nesta quinta-feira(02), alerta de furacão para o litoral de Massachusetts, próximo à Cape Cod, e alerta de tempestade tropical para a costa de Connecticut e Rhode Island, com a previsão de o furacão Earl chegar às regiões nesse final de semana.

O furacão vai em direção a costa leste dos EUA com ventos de até 230 quilômetros por hora, chegando até 500 quilômetros ao sul do cabo Hatteras, na manhã de hoje. Earl é um furacão de categoria quatro na escala Saffir-Simpson ( medida até o nível 5) com ventos de mais de 250 km/h. "Esperamos uma perda de força gradual, mas continuará sendo um furacão potente ao se aproximar da costa americana", explica um comunicado do NHC à imprensa. Os estados da Carolina do Norte, Virgínia e Maryland declararam estado de emergência depois que Earl chegou à categoria 4. "Há preocupações quanto ao seu trajeto, ele pode se movimentar para oeste e ter grande impacto sobre a costa", disse o porta-voz do NHC, Dennis Feltgen.

Em Massachusetts, os metereologistas prevêem que ele deve avançar até Nantucket, Martha’s Vineyard, Cape e atingir ilhas ao sudeste do estado. O meteorologista do Serviço Meteorológico Nacional,  Charlie Foley, disse que a tempestade, embora esteja na categoria 4, provavelmente terá enfraquecido para a Categoria 2 quando chegar a Massachusetts. A temporada de furacões no Atlântico norte vai de junho a novembro e tem como período mais perigoso os meses de setembro e outubro.

Entre a grande comunidade brasileira residente em Cape Cod, o clima se divide entre alguns que temem os estragos da chegada do Earl e aqueles que acreditam que nada de grave vai acontecer. “ Estão nos avisando toda hora no rádio, na TV, mas sinceramente não acredito que vai acontecer nada. Ainda mais num dia de sol como esse, não vejo nem sinal desse furacão” brinca a empresária Luci Duarte, que reside há 25 anos nos EUA. “ Por conta de outros furacões que não foram tudo aquilo que as pessoas esperavam, acho que dessa vez está todo mundo mais tranqüilo, relaxado” continua Luci, que afirma porém que ela se preparará sim para o pior. “ Caso ele chegue muito forte, vou fechar a minha loja e colocar todo o meu estoque em cofres, além de lacrar as janelas  da minha loja com ‘plywood’. Apesar de não estar aflita, estou preocupada em me preparar” salienta a empresária, que é proprietária de uma loja de jóias na região.

A mineira Miria Botelho da Silva, afirma que as pessoas tem que estar conscientes que o furacão pode trazer problemas sérios, e que todos devem estar preparados.” Da última vez que ocorreu um furacão, as cidades de Marshfield – MA e Kingston – MA, ficaram sem eletricidade, e estou orientando as pessoas para comprarem velas,  garrafas d’água, e comida enlatada, pois essas regiões podem ficar sem abastecimento de alimentos e água, como ocorreu da última vez” alerta ela, que também desempenha trabalhos voluntários de ajuda a brasileiros no estado. “ No furacão anterior, eu tive que levar dezenas de marmitas para brasileiros em Marshfield, foi um verdadeiro caos na cidade” revela Míria, que vive há 15 anos nos EUA.

Já o capixaba Cássio Silveira do Nascimento, que reside há apenas 7 meses na região de Cape Cod, afirma estar temeroso que uma tragédia aconteça. “ Eles não param de alertar a gente sobre isso. Estou realmente com medo, vivo num basement e devo ficar sem sair de lá pelos próximos 2 dias pelo menos, até eles falarem que o furacão já foi embora” afirma ele, que procurou a redação  do BT para saber sobre o furacão Earl, nessa quinta – feira.

Fonte: (Da redação)

Top News