Publicado em 8/09/2010 as 12:00am

Parceria é a meta adotada pelo novo Cônsul de Boston

Fernando de Mello Barreto assumiu o Consulado do Brasil em Boston há uma semana e já apresenta modificações para tornar o órgão mais ágil no atendimento

 

Por Luciano Sodré

 

Depois de uma semana à frente do Consulado Geral do Brasil em Boston-Massachusetts, o Cônsul Fernando Paulo de Mello Barreto, reuniu, quinta-feira (02), a imprensa local para expor suas idéias e responder à algumas perguntas, em uma coletiva que abordou todos os setores do órgão. Antes de assumir o posto, era titular do cargo na Austrália. “Mas antes eu fui cônsul-geral em Londres, na Inglaterra”, assim ele abriu sua apresentação.

Ele citou que o fato de já ter atuando como cônsul em outros países proporcionou experiência para entender as reais necessidades dos brasileiros que vivem no exterior, “pois maioria possui as mesmas características, objetivos e origem”.

Antes de iniciar as perguntas dos representantes da imprensa, o Cônsul acrescentou que quando o Ministério das Relações exteriores o chamou para conversar sobre a possibilidade de ele assumir o cargo em Boston, já deixou claro a existência de algumas dificuldades e que resolver os problemas seria uma prioridade em sua gestão. “Este foi o principal recado que eu trago de Brasília. Todos estão cientes dos problemas que se instalaram neste consulado e que a ordem e apenas uma – solução”, fala.

Em seguida ele levantou uma questão antiga na comunidade e sempre discutida quando o assunto é o Consulado Brasileiro – que é a dificuldade de acesso do órgão para muitos brasileiros que moram distantes de Boston. O Cônsul salientou que no planejamento de trabalho está a possibilidade de mudança de endereço, tornando o Consulado mais acessível para as pessoas.

Outro fator que ele citou para explicar a necessidade da mudança do consulado é que há “extrema necessidade de aumentar o cargo funcional, mas o espaço atual do órgão não comporta mais funcionários. “Já que queremos melhorar e aumentar o atendimento, precisamos de mais funcionários e para isso necessitamos de mais espaço”, acrescentou.

Ele disse que é ciente de que o consulado está no mesmo local há 17 anos e que a comunidade brasileira aumentou muito ao longo deste período. “É necessário que acompanhemos este crescimento”, citou o diplomata ressaltando que o local atual não comporta mais a demanda exigida para o número de brasileiros que moram na região.

Mas para que aconteça esta mudança, segundo ele, existe uma série de assuntos a serem tratados. “Mas enquanto isso não ocorre, outras idéias serão colocadas em prática, no sentido de agilizar o atendimento do órgão”, fala.

 

Horário

A primeira medida e que já entrará em vigor a partir desta semana é a mudança no horário de atendimento. O Cônsul disse que já determinou que as portas do órgão sejam abertas às 8 horas, proporcionando uma hora a mais no atendimento, “Desta forma mais pessoas poderão ser beneficiadas”, explicou.

 

Consulados Itinerantes I

O Cônsul acredita que há necessidade de levar o consulado em regiões onde há grande concentração de brasileiros. Ciente da importância desta ação, ele afirma que os consulados itinerantes serão realizados com freqüência. “Muitos brasileiros deixam de ir ao órgão devido à falta de tempo ou a distância e nossa intenção e levar o Consulado até eles”, fala salientando que o primeiro acontecerá na cidade de Worcester, nos dias 18 e 19 deste mês. O segundo, ainda com dia não marcada, será em Lowell, em outubro. “A intenção é realizar o consulado itinerante pelo menos uma vez por mês”, complementa.

 

Consulados Itinerantes II

O cônsul pretende utilizar os consulados itinerantes para realizar “reuniões abertas” com a comunidade. Desta forma o próprio brasileiro terá oportunidade de dar idéias, sugestões, criticas e ajudar a melhorar o andamento do órgão. Ele pretende reunir não apenas as entidade e associações, mas todas as pessoas que tiverem vontade de contribuir para o crescimento do consulado. “Mas não precisa acontecer durante a realização dos consulados itinerantes. Podemos fazer sempre que acharmos necessário”, acrescenta.

 

Agendamento

Ao chegar no ponto que mais gerou polêmica na administração anterior, o novo cônsul alegou que o “agendamento é uma medida que se tornou um mal necessário”, pois toda a estrutura atual do órgão requer este tipo de atendimento. Novamente ele citou  a falta de espaço físico do consulado e ressaltou a necessidade da mudança para um local mais amplo e quem atenda um número maior de brasileiros. Para explicar o sistema de agendamento, ele alegou que a comunidade cresceu muito e a direção do órgão se viu na obrigação de controlar a o número diário de pessoas a serem atendidos.

Mas enquanto não há como eliminar o sistema de agendamento, o cônsul disse que sua equipe está buscando um sistema de informação que agilize este trabalho e não cause tantos transtornos. “Estamos estudando várias maneiras de proporcionar um atendimento através do agendamento sem que haja demora e reclamações”, acrescenta salientando que para isso está analisando todos os sistemas adotados pelos demais consulados nos Estados Unidos. “Pretendemos reunir o que há de melhor para adaptar em nossa região”, continua.

 

Informações

A nova gestão do consulado também irá bater na tecla de que a comunidade precisa de informar e para isso cartilhas serão elaboradas. Ele também citou o apoio dos diversos meios de comunicação que tem como papel importante levar até às pessoas o que elas precisam saber. “Eu queria e preciso manter um contato frequente com a imprensa, pois os veículos serão o elo do consulado com a comunidade”, fala.

 

Matrícula consular

A idéia é tentar fazer com que a Carteira de Matrícula Consular possa servir como um meio de identificação reconhecido pelas autoridades norte-americanas. “Sei que isso é uma tarefa difícil, mas para que isso aconteça é necessário manter contatos com as autoridades deste país e tentar provar que o documento é oficial e reconhecido pelo Consulado do Brasil”, explicou.

 

Portas abertas

O cônsul ressaltou que todos estes projetos serão possíveis somente se a comunidade, a imprensa e as associações se unirem com o consulado. “Por isso  eu gosto de trabalhar com as portas abertas, ouvir sugestões e até mesmo críticas que venham ajudar a melhorar o nosso trabalho”, fala conclamando a mídia para participar, ao lado dele, deste processo de mudança que “não será imediato”, mas surtirá efeitos positivos no futuro.

 

Imprensa presente

Participaram desta coletiva representantes dos seguintes meios de comunicação:

Jornais: A Notícia, Metropolitan, dos Sports e Brazilian Times

Revista: Massa e Brazilian Magazine

Websites: O Favorito, Sua TV e Radio TV BT

Blog: Brazil com Z

Fonte: (Da redação)

Top News