Publicado em 17/09/2010 as 12:00am

Líder do senado afirma que Dream Act irá à votação

O projeto, discutido há muitos anos, se configura um caminho para gerar um status legal para estudantes que desembarcaram nos EUA antes dos 15 anos e vivem no país há pelo menos 5 anos, se graduando na High School e com perspectivas no ensino superior

Na ausência de ação do congresso nacional para debater uma ampla reforma imigratória, o líder do senado norte-americano, o democrata Harry Reid, afirmou na terça-feira(14), que vai colocar o projeto Dream Act para ser votado na próxima semana.

O projeto, discutido há muitos anos, se configura um caminho para gerar um status legal para estudantes que desembarcaram nos EUA antes dos 15 anos e vivem no país há pelo menos 5 anos, se graduando na High School e com perspectivas no ensino superior. Aqueles  jovens que serviram às forças armadas também são qualificados para a medida. Alguns temem que o Dream Act diminuirá o foco em outras questões de imigração, outros a vêem como um "sinal" em direção a uma reforma mais ampla. Mas a principal questão que permanece é se o senador Reid pode reunir os 60 votos necessários para a aprovação da iniciativa.

Segundo o senador, é uma injustiça privar jovens que passaram toda a vida no país, de serem legalizados. “ Crianças que cresceram como americanos devem ter o direito de conseguirem permanência no país, adentrarem faculdades, servirem o exército. É um passo muito importante que devemos dar, aprovando essa legislação. Infelizmente, até agora não podemos realizar um ampla reforma. Eu tentei muito, muito mesmo. Mas os republicanos não nos apóiam” disse o senador, em uma conferência à imprensa.

Embora o presidente Obama tenha reiterado seu apoio para o Dream Act, ele disse que quer ter certeza que o projeto vai se configurar o início para uma reforma realmente abrangente. “ Eu não quero ninguém pensando que o Dream Act pode resolver o problema todo. Temos muitos outros problemas para resolver. Ainda precisamos de uma reforma completa, e embora eu apoiei o Dream Act, acho que não podemos esquecer que temos que focar num projeto mais amplo” disse  o presidente, ao jornal hispânico La Opinion. O programa já foi à votação em 2007, quando foi reprovado no congresso por apenas 8 pontos, 52 a 44.

Em Massachusetts, a notícia repercutiu com esperança. A organização Student Immigrant Movement ( SIM), que luta pelos direitos dos estudantes indocumentados, enviou um comunicado de agradecimento ao senador pela iniciativa.  “A atitude do senador é algo que estamos esperando há algum tempo, que é ver o Dream Act aprovado. A sua liderança em agir garantirá o futuro de pelo menos 2 milhões de estudantes ao longo do país, levando esperança para muitos que um dia esperam ser parte desse país de verdade” afirma o comunicado. Para o estudante de administração, William Sholze, não há motivo para o projeto não ser aprovado. “Muito se fala na competição no mercado de trabalho, mas na realidade muitos estudantes internacionais querem voltar para seu pais de origem. e a maior parte do desemprego hoje ocorre nas áreas que exigem menos qualificação. Existem muitas vagas em várias áreas,  mas faltam pessoas qualificadas para trabalhar. Vai chegar um hora aqui nos EUA, que vai ocorrer o mesmo que acontece no Brasil, você vai ter que estudar e ter pelo menos curso superior pra ter um emprego” opina o paranaense, que apesar de ter um visto de estudante, convive com muitos imigrantes que se sacrificam para continuar seus estudos na ilegalidade.

Fonte: (Da redação)

Top News