Publicado em 26/09/2010 as 12:00am

Semana Carlos Motta em Nova York

Designer brasileiro de móveis Carlos Motta encanta Nova York com peças de madeira reutilizada, palestras e lançamento de livro durante uma semana em setembro dedicada a ele.

 

Por Gisele Ribeiro

 

Com cabelos grisalhos sofisticadamente esvoaçantes e com ar de surfista, o arquiteto e designer de móveis Carlos Motta abriu em uma palestra na AIA - Instituto Americano de Arquitetura Nova York - uma série de eventos relacionados ao seu trabalho. O tema da apresentação, realizada no dia 21 de setembro, reforçou a conexão entre a concepção do mobiliário brasileiro e a natureza, assim como a preservação ecológica. Carlos ressalta que reutiliza madeira e material de demolição nas peças que produz.

As peças de mobília ficarão expostas na Galeria Espasso em Nova York até o dia 22 de outubro, quando partem para Los Angeles. A Espasso, galeria dedicada exclusivamente a designers brasileiros, também foi hospedeira da noite de autógrafos da versão em inglês do livro “Carlos Motta e a Vida,” organizado por Paulo Lima e Rafic Farah.

O livro conta em um tom bem descontraído a relação de Carlos com o mar (ele é realmente sufista, assim como os filhos dele), com a família, amigos e colaboradores, processo de criação, arquitetura e revela um fato curioso. Carlos Motta é filho de Cândido Motta Filho, membro da Academia Brasileira de Letras nas décadas de 60 e 70, sucedido por Raquel de Queiróz. O livro também traz uma interessante surpresa: um DVD. Um documentário de 30 minutos “Carlos nas ondas da vida,” com legendas em inglês, navega pelas idéias e intimidade de Carlos, que se define como “projetista de móveis e construtor de casas comfortáveis."

A Semana Carlos Motta teve como base a mostra individual do designer, realizada no Museu da Casa Brasileira em São Paulo há um mês. Foi organizada pela empreendedora na área de design Adriana Kertzer e o dono da Galeria Espasso, Carlos Junqueira, residente nos EUA por mais de 20 anos. Contou com o apoio do Consulado Brasileiro, da AIA New York, Espasso e Phillips de Pury & Company.

Apesar de já ter exposto na Espasso desde 2002, quando a galeria tinha sede em Long Island City, e em outros países, esta é a primeira mostra solo de Carlos Motta em NY. Marca 30 anos da trajetória de seu estilo de beleza despojada e contemporânea. Entre sofás e poltronas de peroba rosa, também destacam-se as cadeiras “havaianas,” com cores vivas, combinando madeira e material emborrachado, inspiradas nos chinelos de dedo homônimos muito populares no Brasil, e agora no mundo. Conforto, liberdade, praia, verão e sensualidade parecem estar sempre presentes no trabalho de Carlos.

 

O conceito da Semana Carlos Motta, interligando eventos sediados por diferentes organizações, ficou por conta de Adrian Kertzer. Há 10 anos nos EUA, Adriana, que também é advogada formada pela Georgetown University, resolveu repensar sua carreira. Em 2009, começou a buscar um novo rumo. Após vários cursos de design, decidiu investir em um mestrado na área, o que repercutiu em contatos com importantes instituições, como é o caso da Phillips de Pury & Company.

 

É lá, na sexta-feira, que Carlos fala sobre o tropicalismo e sensualidade no seu trabalho instigando colecionadores e encerrando a Semana Carlos Motta. Após a palestra, está previsto um leilão dedicado a peças latino-americanas. A instituição é conhecida como uma das que arrecada valores mais altos no mercado de móveis em Nova York.

 

Fonte: (Da redação)