Publicado em 4/10/2010 as 12:00am

Milhares de brasileiros votam em Massachusetts

Quando as eleições para escolher o presidente do Brasil começaram a esquentar nos Estados Unidos, em 25 países elas já haviam sido encerradas

Quando as eleições para escolher o presidente do Brasil começaram a esquentar nos Estados Unidos, em 25 países elas já haviam sido encerradas. Os primeiros brasileiros a votaram no exterior foram os que têm domicílio eleitoral na Austrália, Indonésia, Emirados Árabes, Índia, Rússia, Turquia, Nova Zelândia, Coreia, Japão, Timor Leste, Cingapura, China, Filipinas, Hong Kong, Malásia, Taiwan, Tailândia.

Os 25 países também tiveram as eleições encerradas  na parte da manhã de domingo (horário de Massachusetts). São eles: Arábia Saudita, Catar, Hungria, Israel, Jordânia, Noruega, República Tcheca e Romênia. O maior colégio eleitoral está em New York, onde 21.076 eleitores transferiram a residência eleitoral. O segundo maior reduto está em Lisboa (Portugal) com 12.360 e em seguida Boston com 12.330.

Para o Cônsul-Geral do Brasil em New York, Omar Chohfi, o crescimento tanto no número de eleitores no exterior, quanto na participação nestas eleições, se deve “à facilidade com que todos têm acesso à informação”. Ele destaca a entrada das emissoras de televisões brasileiras na comunidade e aos diversos jornais que ajudaram no trabalho de conscientização do eleitorado.

Na Nova Zelândia, a votação iniciou às 15 horas de sábado (horário de Massachusetts) e na Austrália, Japão e China, o período de votação teve início às 18 horas. Os últimos a começarem a votar no exterior, são os eleitores residentes na California (11 horas de domingo)

Apenas um problema foi registrado no exterior. Em Paris a urna não chegou a tempo e por isso os eleitores tiveram que votar manualmente. Em Londres, os eleitores compareceram às urnas embaixo de muita chuva. Mesmo assim a participação superou as expectativas.

O eleitor que não compareceu às urnas, tem até 60 dias para justificar sua ausência.

Críticas

Assim como aconteceu em Portugal, muitos eleitores em Massachusetts deixaram para retirar os seus títulos no local de votação e isso gerou um grande transtorno. Enormes filas se formaram e houve muitas reclamações. Alguns criticaram o atendimento e que havia pouca informação. “Mas isso se deve justamente ao acúmulo de pessoas que deixaram para a última hora”, explica um mesário.

O pastor Walter Mourisso, que é pré-candidato a Representante da Comunidade entende a dificuldade no atendimento, haja vista a grande quantidade de pessoas que deixaram para pegar seus títulos no local de votação. “Mas estarei pegando algumas sugestões dos eleitores e repassando para o Consulado, no sentido de ajudar nas próximas eleições”, ressaltou ele.

Ele apontou, também, a necessidade de um trabalho de educação e orientação aos eleitores, para que eles entendam a importância de participar de um pleito eleitoral e “que deixar para última hora pode gerar algum transtorno”. Mas de qualquer maneira, o pastor estará recolhendo opiniões das pessoas e enviando ao Consulado.

Eleições pelo Brasil

Eleitor morre após passar mal em seção eleitoral no Alagoas - Um eleitor morreu após passar mal na fila de seção eleitoral no município de Igaci, no interior do estado de Alagoas. José Carlos Nascimento Sousa, 43 anos, sofria com problemas cardíacos. As informações são do Hospital Regional Santa Rita, onde Sousa foi atendido. O hospital fica no município de Palmeira dos Índios, a cerca de meia hora de Igaci. Segundo funcionários do hospital, Sousa já chegou morto

Tiririca vota sem fantasia - Francisco Everaldo Oliveira Silva, o Tiririca, candidato a deputado federal pelo PR, votou na manhã de hoje na seção 172 da 6ª zona eleitoral de São Paulo. Houve muito tumulto e o esquema de segurança precisou ser reforçado. Ele estava acompanhado de sua esposa e assessores

Collor é vaiado ao chegar para votar - Com um adesivo da presidenciável Dilma Rousseff (PT) no peito, o senador Fernando Collor de Mello (PTB), candidato ao governo de Alagoas, votou na manhã deste domingo (3) no colégio Imaculada Conceição, em Maceió (AL), sob vaia dos eleitores que aguardavam na fila da votação. Acompanhado da esposa Caroline Medeiros e das filhas gêmeas Cecile e Celine, Collor evitou ao máximo as perguntas dos jornalistas.

Fonte: (Da redação)