Publicado em 11/10/2010 as 12:00am

EUA bate novo recorde de deportações

Pelo segundo ano seguido, o governo Obama deportou mais imigrantes indocumentados do que nunca. Metade deles tinham históricos criminais

A administração Obama deportou em número recorde em 2010, segundo um relatório do U.S. Immigration and Customs Enforcement (ICE).  Dos 392.862 deportados de outubro do ano passado até setembro desse ano, metade tinham históricos criminais. Foram 3.000 deportados  a mais em comparação com 2009.

O recorde reflete a preocupação do governo em combater a ilegalidade migratória no país, principalmente daqueles que tem alguma pendência criminal.  Em comparação com 2008, houve um aumento de 70% na deportações de criminosos. Oficiais do ICE dizem que o programa Secure Communities, que dá poderes a policiais locais de identificar e prender imigrantes com histórico de delitos, é um dos grandes responsáveis pelo aumento de deportações. “ Estamos comprometidos em atuar de maneira mais dura no exercício da lei” afirmou o diretor do órgão, John Morton.

O relatório do ICE também afirma que o número de imigrantes que chegaram ao país ilegalmente, também diminuiu. De quase um milhão anuais do período entre 2000 e 2005, apenas 300.000 atravessaram as fronteiras dos EUA  todos os anos, entre 2007 e 2009.

Programa federal causa controvérsia no meio imigrante

Uma organização de apoio ao imigrante, situada em Somerville- MA, afirmou no dia 4 de outubro, que está iniciando uma campanha contra a prática da polícia local em Boston, em verificar o status migratório de um imigrante que cometeu qualquer tipo de delito, mesmo que considerado pequeno e ‘não-violento’. Parte de um programa federal de combate à imigrantes criminosos, a prática tem gerado controvérsia entre ativistas comunitários, que afirmam que vários brasileiros inocentes tem sido presos e deportados.

A ONG Centro Presente, declarou que a campanha está projetada para esclarecer  aos imigrantes e departamentos de segurança de Massachusetts sobre o programa federal ‘Secure Communities’,  , que segundo eles, desestimula todos os imigrantes, independentemente do seu status migratório, de cooperar com polícia. “ A nossa principal preocupação é com o enorme número de imigrantes que é preso e tratado como criminoso por delitos pequenos como ser parado sem habilitação ou por estar com o tempo de permanência do visto no país expirado. Isso não faz deles criminosos, não é  a mesma coisa que matar alguém ou vender drogas” afirma a diretora-executiva da entidade, Patrícia  Montes.

Fonte: (Da redação)