Publicado em 22/11/2010 as 12:00am

Autoridades de Fall River/MA se reúnem com brasileiros

Aproximadamente 500 pessoas estiveram presentes à First Baptist Church, em Fall River- MA, onde assistiram a testemunhos e a uma esperada rodada de perguntas ao chefe de polícia da cidade, Daniel Racine

 

Na noite de quinta – feira (18), na First Baptist Church, em Fall River- MA, ocorreu um encontro promovido pela United Interfaith Action (UIA),  com o objetivo de criar um diálogo mais próximo entre o Departamento de Polícia e as comunidades brasileira e hispânica de Fall River. Aproximadamente 500 pessoas lotaram as dimensões da Igreja, onde assistiram a testemunhos e a uma esperada rodada de perguntas ao chefe de polícia, Daniel Racine.

Após algumas orações de abertura e apresentações dos convidados, o mestre de cerimônias e um dos organizadores do encontro, Arli F. DaSilva, anunciou que em alguns instantes seria a hora de os brasileiros escutarem das autoridades, o compromisso em levar confiança e segurança à comunidade. “ Estamos aqui hoje para fortalecer essa relação, fazer com que a Polícia de Fall River demonstre que podemos confiar nela, sendo indocumentados ou não” afirmou durante introdução, que prosseguiu por discursos de autoridades religiosas da região, entre elas os Reverendos Don Mier e Gerson Annunciação, Bispo Coleman, e Felix Gonzalez, que juntamente com Arli, presidiu a iniciativa.

O primeiro testemunho foi do profissional de construção, Erivaldo de Freitas. Vivendo no país há 6 anos, ele contou como viveu um episódio que exemplifica bem a relação do indocumentado com a polícia. “ Um dia estava na estrada com aproximadamente 6 amigos numa van, e quando paramos num sinal, um carro bateu na nossa traseira. Apesar de ter sido, sem sombra de dúvidas, culpa do outro carro, meus amigos começaram a ficar muito agitados com a situação de sair do carro e enfrentar a abordagem policial por serem indocumentados. Eles até mesmo queriam pagar pelo conserto dos dois carros para não ter que envolver polícia naquele momento” contou, no palanque montado na Igreja. Em seguida, um dos testemunhos mais emocionantes da noite envolveu a comerciante Maria Bertramo,   que há 11 anos reside no país, sendo que há 7 administra uma loja de produtos brasileiros na cidade. “ Um dia recebi uma visita na loja, de um brasileiro que tinha sido atropelado gravemente há alguns dias, mas fugiu do local e não quis ir ao hospital. Ele ainda estava bem machucado mesmo após alguns dias do ocorrido, e precisava de ajuda imediata. Ele tinha medo de ser identificado como indocumentado e ser entregue ao ICE. Depois muito tempo tentando convencê-lo, conseguimos levá-lo ao hospital e segundo o médico, se ele demorasse mais dois dias, ele teria que amputar a sua perna. Mesmo recuperado, ele ficou com sequelas,  por causa da demora no atendimento” disse Maria.

Foi a hora então de chamar ao palanque o chefe de polícia de Fall River, Daniel Racine, que respondeu questões pertinentes à problemas comuns enfrentados pelos imigrantes. Arli então fez uma pergunta clara e objetiva : `A polícia vai denunciar uma pessoa que é pega sem a habilitação de Massachusetts para a Imigração?`. “ É uma determinação estadual que toda pessoa que dirija, tenha uma habilitação válida do estado, não importa se é indocumentado ou não, ele sofrerá consequências da lei. Mas de forma nenhuma, a menos que se configure alguma violação civil ou criminal, vamos realizar esse contato com a Imigração, não é nossa função fazer isso “ respondeu Racine. Além disso, o policial confirmou que o passaporte será sempre aceito como documento de identificação, não exigindo ID ou Driver’s License de Massachusetts.

A seguir, o prefeito da cidade, William Flanagan, foi chamado para confirmar as afirmações do chefe de polícia, fazendo um discurso que endossou ainda mais o compromisso das autoridades da cidade em se aproximar das comunidades imigrantes e estabelecer um ambiente de confiança e harmonia. “ Essa nação foi construída por imigrantes, e reconheço o grande benefício dessas pessoas a esse país. Por isso sou um prefeito de todos, documentados ou indocumentados, eu trabalho para todos. Nós dividimos o mesmo sonho, não importa a etnia” discursou, sendo amplamente ovacionado e aplaudido.

Fonte: (Da redação)