Publicado em 23/11/2010 as 12:00am

Democrata afirma que Dream Act voltará ao congresso

Com o apoio do presidente Obama e de todo setor educacional do país, projeto ganha aliados até mesmo dentro do partido republicano, que pretende angariar a grande parcela votante de imigrantes que fizeram diferença nas recentes eleições

Por Marcelo Zicker

Após o senador Harry Reid (D-NV) afirmar na semana passada, que deseja levar o Dream Act novamente à votação, dessa vez como uma lei individual, milhões de jovens indocumentados novamente reacendem a esperança de atingirem a legalização através do projeto. Por quase uma década, a medida tenta aprovação no congresso federal, mas sempre encontra resistência entre os mais conservadores.

A preocupação com o obsoleto e ineficaz sistema migratório do país, tem causado discussão em todo o meio político norte-americano, que ainda estuda o primeiro passo no caminho de uma reforma ampla no setor. O próprio presidente Barack Obama afirmou recentemente que o Dream Act é de fato o projeto mais justo e urgente no tratamento do tema. Até o partido republicano, conhecido por ter uma postura contrária à iniciativa, tem encontrado apoio ao projeto em alguns de seus mais emblemáticos políticos. É o caso do deputado federal pela Flórida Lincoln Diaz Balart, que afirmou que ‘ muitos estudantes tem sido punidos pela falta de ação do governo federal no tema, e que o projeto representa muito mais do que a briga entre os dois partidos no congresso,  representa um teste verdadeiro aos valores americanos’ sendo o blog

A grande repercussão do projeto ganhou ainda mais destaque após um relatório de um pesquisador da UCLA, que divulgou grandes benefícios econômicos na aprovação do Dream Act, afirmando que os estudantes indocumentados, ao longo de seu tempo de estudo e atuação na área que escolheram, poderiam contribuir com a economia entre $1.4 milhões e $3.6 milhões. Até mesmo o Secretário de Educação dos EUA, Arne Duncan, se colocou a favor da medida,  afirmando que Obama pretende fazer ligações aos congressistas, pedindo apoio ao projeto.

O Dream Act consiste em abrir um caminho para a legalização daqueles jovens que chegaram antes dos 15 anos ao país, completaram o high school, e estão no segundo ano na universidade ou se alistarem ao exército, também serão beneficiados. Mesmo com apoios no setor educacional e da autoridade máxima do país, ainda não é possível se garantir a aprovação da iniciativa. Ela foi novamente votada, e negada, em Setembro desse ano.

Com a constatação da importância do voto imigrante nas eleições para os governos estaduais, câmara  e senador federal no último mês, muitos políticos tem mudado suas estratégias e posições a temas relacionados à imigração. É o caso do senador federal Scott Brown, que afirma que poderá apoiar a legislação caso haja revisões em alguns tópicos. As declarações do líder democrata Harry Reid geraram a esperança que a aprovação possa de fato ocorrer.

A diretora do grupo Student Immigrant Movement - SIM, Renata Teodoro, se diz confiante que ainda é possível ser otimista com a aceitação da medida no congresso federal. “ Acho fantástico a grande quantidade de suporte que estamos tendo a oportunidade de ter no tema. O presidente, assim como o senador Reid, tem trabalhado duro para ganhar ainda mais apoio para o projeto. Os republicanos não apóiam por causa da grande polêmica que envolve o tema,  tem medo de perder seus eleitores mais conservadores. Mas as eleições que acabaram de ocorrer provaram que a influência imigrante nas urnas foi forte o suficiente para fazer muitos deles não voltarem aos seus assentos em janeiro, por isso estão revendo suas posições” opina a brasileira, que estuda Psicologia na Universidade de Massachusetts – Umass, e é uma das mais atuantes jovens ativistas em favor do Dream Act no estado. Para ela, é preciso que os jovens brasileiros indocumentados atuem para pressionar o meio político, se unindo a entidades como o SIM, comparecendo a eventos e manifestações em favor do tema  e escrevendo cartas e emails ao congresso, tentando sensibilizar senadores acerca da importância do projeto. “É preciso pressioná-los e mostrar o quão preocupante e decisivo em nossas vidas é essa iniciativa. Precisamos de cada vez mais apoio e movimentação entre os estudantes” clama a estudante.


Fonte: (Da redação)