Publicado em 1/12/2010 as 12:00am

Governador eleito afirma que irá cancelar medidas anti-imigrantes no estado

Como parte de suas promessas de campanha, o governador recém-eleito Lincoln Chafee afirma que vai cumprir a sua palavra de cancelar programas como o E-Verify entre outras medidas de repressão aos indocumentados

 

O debate sobre a imigração indocumentada em Rhode Island sempre chamou a atenção da mídia, principal pelas duras medidas tomadas pela administração do antigo governador,  o republicano Don Carcieri, que assinou um decreto obrigando funcionários do estado policial e prisional a  identificar os imigrantes ilegais no estado para possível deportação. Seria também exigência no estado que empregadores e agências verificassem o status migratório dos empregados, utilizando o programa E-Verify. Recém-eleito para o posto que um dia foi de Carcieri, o candidato independente Linc Chafee, planeja realizar uma esperada promessa de campanha : cancelar as medidas anti-imigrantes e estabelecer uma nova relação com os indocumentados do estado.

 

Carcieri, durante seu mandato,  afirmou que Rhode Island tinha com um déficit orçamental de $ 550 milhões por conta dos imigrantes indocumentados, por usarem os distritos escolares, hospitais e o sistema prisional.  "Nosso estado está em dificuldades financeiras. Se RI  incentiva a imigração clandestina, ele terá que cortar financiamento estatal para os seus residentes legais” disse ele na época.


Agora, o novo governador Linc Chafee, está planejando dar prosseguimento à sua promessa de anular a ordem de execução, mesmo com a pressão da opinião pública acerca de um recente estupro seguido de homícidio cometido por um indocumentado no estado, há algumas semanas.

"Isso poderia acontecer em qualquer lugar. Somos um dos seis estados que utilizam o E-verify. Há 44 outros estados que não têm  esse recurso, e tragédias como essa podem acontecer em qualquer um desses demais estados. Não há motivo para associar imigração indocumentada com crimes ", disse ele em uma entrevista coletiva.

 

Na semana passada, uma mulher identificada apenas como Heather enviou uma carta à equipe de Chafee pedindo que ele reconsidere sua posição, argumentando que caso o E-Verify antes de 2008, ela não teria sido estuprada. A mulher foi raptada de um supermercado Warwick e estuprada no Roger Williams Park, em Providence por Marco Riz, de 27 anos de idade, que estava no país ilegalmente. Seu caso renovou o apelo para apertar as políticas do estado sobre os imigrantes ilegais. Riz foi condenado a 30 anos de prisão.


Para o atual governador, a sua palavra deve ser cumprida. "Essa foi uma das minhas promessas de campanha", diz Chafee, que estava fora do país na semana passada, quando a carta foi entregue aos seus escritórios. "Eu não posso voltar atrás na minha palavra. Vou cumprir o que prometi". Apesar de afirmar que irá retirar E-Verify do estado, ele não foi claro ainda sobre cancelar a  exigência de que a polícia estadual coopere com as autoridades federais de imigração.

Fonte: (Da redação)