Publicado em 22/12/2010 as 12:00am

Pizzaria sofre acusação de ameaçar imigrantes de morte

Um ex-gerente da rede Upper Crust, entrou com um processo que acusa a rede de pizzarias de Boston de represálias contra ele, incluindo ameaças de morte

 

Um ex-gerente de operações da Upper Crust,  entrou com um processo que acusa a rede de pizzarias de Boston de represálias contra ele, em resposta à série de denúncias reportadas ao Departamento do Trabalho dos EUA,  com acusações de violações salariais e horas extras não pagas. Ele também afirma ter sido ameaçado de morte pelo presidente da companhia, Jordan Tobins.

A pizzaria é conhecida por abrigar grande quantidade de brasileiros, que inclusive se uniram no movimento contra a companhia, que é conhecida por não pagar horas extras e remunerar seus funcionários com salários bem abaixo de suas funções. Contando com o apoio de funcionários brasileiros, Patrick Joyce lidera o movimento contra a rede de pizzarias, acusando o proprietário  Jordan Tobins de inventar uma história de roubo de uma das filiais da empresa, situada na Commonwealth Avenue, colocando-o como principal suspeito. Ele afirma ter sido até ameaçado de morte pelo proprietário, ofensa da qual registrou queixa na Corte Distrital de Boston.

 Joyce trabalhou na empresa por 7 anos. Ele processa a empresa em $150.000, por questões trabalhistas e morais. “ Inicialmente,  era uma companhia com boas intenções. Mas eu acho que ganância e arrogância entraram no caminho dessa pessoa, e ele se tornou cego por isso. Quanto mais a empresa crescia e o seu reinado prosperava, ele sentiu que ele podia fazer tudo o que queria para chegar mais longe” afirmou o ex-funcionário ao jornal Boston Globe.

George Regan, um porta-voz  da Upper Crust, disse que as acusações não são verdadeiras. Segundo ele, Joyce  está "irado porque outro empregado recebeu uma promoção ", disse Regan. "Ele não foi ameaçado, ele foi repreendido por mau desempenho -  e não por ser um delator . Sua versão pode soar mais fascinante, mas não é verdade" afirmou o porta-voz.

A rede de pizzarias Upper Crust, que rapidamente se expandiu na última década, com mais 17 lojas ao longo de Massachusetts, vem sendo criticada por vários orgãos estaduais e federais pelo seu tratamento aos funcionários, muitos dos quais são brasileiros que chegaram ilegalmente em Boston e passaram anos trabalhando para a empresa e não sendo remunerados apropriadamente. O processo de Joyce é o segundo somente este ano,  movido por ex-empregados.

Em julho, dois cozinheiros brasileiros entraram com uma ação dizendo que a cadeia de pizzarias devia a eles milhares de dólares em pagamentos de horas extras. Uma agência federal investigou as práticas salariais da Upper Crust de todo o ano de 2009, e deu ganho de causa aos brasileiros, exigindo que a empresa pagasse $350.000 dólares em salários atrasados para cerca de 121 funcionários.

 

Brasileiros processaram empresa em julho

Dois brasileiros que trabalhavam na rede de pizzarias Upper Crust Pizza, entraram com uma ação em Julho, acusando a empresa de não pagar ‘hora extra’. Valdeir Pereira Pinto, de Allston – MA, e Cleverson Batista, de Somerville – MA, acusaram a gerência da pizzaria de, depois de fazer a restituição de pagamentos fixos relativos às horas extras, dizer aos funcionários que eles ‘deveriam pagar aquilo de volta’ se eles quisessem manter seus empregos.  Os gerentes então, começaram a deduzir centenas de dólares dos pagamentos semanais dos funcionários , de acordo com a ação realizada pelos brasileiros. Eles disseram no processo, que foram despedidos nessa primavera, semanas após a companhia ‘recuperar’ o dinheiro dado na restituição. “ Não é justo que eles tomem o meu dinheiro, que eu lutei para conquistar” disse Cleverson, ao jornal Boston Globe. Ele trabalhava em restaurantes situados em Brookline e Fenway.

Fonte: (Da redacao)

Top News