Publicado em 9/02/2011 as 12:00am

Empresa de MA cria jogo anti-imigrante para Iphone

Chamado de "Smuggle Truck: Operation Immigration,", o jogo foi criado exclusivamente para Iphone e Ipad pela Owlchemy Labs, empresa situada em Boston

 

Um aplicativo para Iphone desenvolvido por uma empresa de Boston, criou muita polêmica na última semana, por permitir que os usuários dirijam um caminhão com imigrantes pelo deserto, sem deixar que eles caiam do veículo. Ativistas em todo o país recriminaram o jogo, afirmando que ele ‘brinca com o sofrimento de milhares de pessoas que um dia passaram por essa experiência’.

Chamado de "Smuggle Truck: Operation Immigration,", o jogo foi criado exclusivamente para Iphone e Ipad pela Owlchemy Labs, empresa situada na capital de Massachusetts. Planejado para ser lançado oficialmente em Março, o aplicativo permite que o jogador passe por um local que se assemelha às proximidades da fronteira dos EUA com o México. O caminhão dirige passando por cima de montanhas, cactos e animais mortos,  exigindo do usuário que não deixe que nenhum imigrante dentro do caminhão caia do truck , no qual é mostrado com a capacidade máxima de pessoas do veículo.

O responsável pelo aplicativo, Alex Schwartz disse que a idéia para o satírico jogo veio da experiência de alguns de seus amigos imigrantes, que relataram suas histórias  para o programador.   “Nós sentimos que esse problema é um tabu para o mundo dos games e da mídia. Então a gente construiu algo sobre essa aventura que pudesse ser vinculada ao que amamos fazer, que é construir jogos” disse ele à uma agência de notícias.

O americano ainda disse que o jogo foi realizado com a intenção de suscitar a questão atual do tema no país. Para ele, o game critica a dificuldade de adentrar o país legalmente com a legislação vigente, sendo mais fácil atravessar as fronteiras ilegalmente, mesmo com todo perigo a ser enfrentado.

Organizações pró-imigrantes e ativistas se manifestaram de imediato com o anúncio do aplicativo. Eva Millona, diretora-executiva do Massachusetts Immigrants & Refugee Advocacy Coalition - MIRA, disse que o jogo é de mau gosto e banaliza a seriedade do desejo de milhares de imigrantes em arriscar as suas vidas na travessia da fronteira. “No ano passado, 170 seres humanos morreram atravessando a fronteira. É vergonhoso que alguém tente fazer dinheiro a partir de um drama como esse, utilizando um jogo” disse ela, em comunicado enviado à imprensa.

A opinião é dividida por Patricia Montes, diretora-executiva do Centro Presente, situado em Somerville – MA.  “ Eu não acho essas pessoas que tentam imigrar para os EUA pela fronteira, pensem que eles fazem parte de um jogo. Eles fazem isso por desespero” revela ela, em comunicado.

Já Schwartz disse que a intenção não era ofender os imigrantes e seus ativistas. Ele afirma que no processo de desenvolvimento do jogo, fez questão de ressaltar que os ‘personagens não seriam estereotipados’.

Para alguns brasileiros, o episódio é mais uma demonstração de preconceito e discriminação étnica, e pode alimentar o sentimento nos usuários do jogo. “Esse aplicativo mexe com o sentimento de muitas pessoas. Transforma o que era pra ser um sonho, em um pesadelo. É preciso pensar sobre quantas pessoas passaram por essa situação, e quantos perderam um ente familiar ou um amigo nesse trajeto” opina Ulisses Ferreira, baiano que reside em Jamaica Plain – MA. “ Quem viveu de corpo e alma esse acontecimento, o que felizmente não é o meu caso mas sim de alguns amigos, enxergam nesse jogo toda dor e sofrimento dessa experiência” completa ele. 

Fonte: (Da redação)