Publicado em 18/02/2011 as 12:00am

Proposta de 'in-state tuition'' em MA é apresentada

O jovem indocumentado que concluir o ensino médio no estado, e residir há pelo menos 3 anos em Massachusetts, será elegível para a in-state tuition, segundo a proposta apresentada pela deputada Alice Wolf (D-Cambridge),e a senadora Sonia Chang-Diaz, (D-Bo

Por Marcelo Zicker

Quando o senado federal falhou em passar o DREAM Act no ano passado, muitos jovens brasileiros indocumentados assistiram a mais uma derrota do projeto em mais de 10 anos de tentativas em vão. Entre a tristeza do momento, muitos ainda declararam manter a esperança de um dia ver o sonho se tornar realidade. Agora, legisladores em Massachusetts analisarão uma nova proposta de lei que visa fornecer um custo mais acessível aos jovens indocumentados que planejam adentrar universidades em Massachusetts, sob forma da concessão da in-state tuition.

Aquele jovem que concluiu o high school no estado, e vive há pelo menos 3 anos no país, será elegível para a in-state tuition, segundo a proposta apresentada pela deputada Alice Wolf (D-Cambridge),e a senadora Sonia Chang-Diaz, (D-Boston). Atualmente o jovem indocumentado tem que pagar uma tuition classificada como ‘out-of-state’, que pode atingir até o triplo do valor inicial. Além disso, algumas faculdades públicas não fornecem o diploma sem a apresentação de legalidade no país.

Para ativistas e  estudantes, o cenário político ainda é adverso, mas ainda há confiança na passagem da proposta. “ Muitos políticos encaram essa medida como uma ameaça à economia, a a oferta de empregos para os norte-americanos, mas temos que convencê-los que é justamente o contrário, vamos estar oferecendo uma mão-de-obra talentosa e que está aqui pra contribuir” afirma a ativista e presidente da ONG Centro-Presente, Patrícia Montes. “ Espero que dessa vez os legisladores atuem com bom senso e dêem esse voto de confiança aos nossos jovens imigrantes” afirmou ela, em entrevista ao BT.

Leis similares já foram adotadas em pelo menos outros 10 estados, incluindo Texas, California, New York. Ao mesmo tempo, Arizona, Colorado, Georgia e South Carolina passaram recentemente leis banindo a possibilidade do in-state tuition pra indocumentados. O movimento para forçar a aprovação da lei pró-imigrante em Massachusetts, surgiu de uma organização nacional chamada DREAMers, e também contou com o apoio de uma ONG local, chamada Student Immigrant Movement, dirigida por dois brasileiros, Renata Teodoro e Deivid Ribeiro. Ambos tem estado à frente de protestos e passeatas em prol da aprovação do DREAM Act e da in-state tuition em Massachusetts. Em entrevista após a rejeição do Dream Act em Dezembro passado no Senado Federal, Renata foi taxativa. “ Não vamos desistir nunca. Essa é a nossa única esperança e vamos lutar até o fim para sensibilizar o meio político sobre essa causa” afirmou ela, que teve os país deportados há pouco mais de 2 anos, e atualmente trabalha em dois empregos para pagar a sua faculdade de Psicologia na Universidade de Massachusetts. O baiano Deivid Ribeiro, de 22 anos, chegou ao país há 14 anos, e estuda Física na Universidade de Massachusetts. Ele teve que trancar o próximo semestre para poder juntar dinheiro para pagar uma matéria de seu curso. “ Não tive o dinheiro nem mesmo para uma matéria. Ela sairia $1.200 como in-state tuition, mas eu tenho que pagar quase $3.000 por ser considerado ‘out-of-state’” afirma ele, que estima que se manter esse ritmo, demorará mais de 8 anos pra concluir somente a graduação, que dura 4 anos, em média. “ Não tenho alternativa. E ainda quero fazer meu mestrado e doutorado na área. Será que vou gastar a minha vida toda tentando ser um profissional no país em que fui criado?” afirma ele em entrevista ao BT.

O governador Deval Patrick afirmou em novembro que trabalharia em prol de algumas recomendações relacionadas à Imigração em 2011, sendo a In-State Tuition uma delas. Isso pode influenciar no voto do legislativo e talvez tornar a questão uma realidade no estado. O cenário entre republicanos e democratas se mantém variado, com republicanos como o líder da minoria da Câmara, Bradley Jones, se dizendo contra e boa parte dos democratas a favor. Para uma das autoras do projeto, a senadora Sonia Chang-Diaz, a proposta vai ajudar a derrubar mitos e inverdades sobre a iniciativa. “ Já temos os fatos do nosso lado. A in-state tuition vai gerar mais dinheiro no setor educacional, impulsionado a economia” afirmou à uma agência de notícias.

A senadora apontou um estudo da Massachusetts Taxpayers Foundation, que estima que com a aprovação da in-state tuition, de 400 a 600 novos estudantes poderiam adentrar as universidades do estado, gerando a movimentação de mais $2.5 milhões no setor.


Fonte: (Da redação)