Publicado em 18/03/2011 as 12:00am

Obama pode pedir extradição de brasileira que matou marido americano

A brasileira Cláudia Hoerig, de 44 anos, é acusada de matar à tiros o seu marido, Karl Hoerig, há 4 anos atrás. Ela fugiu para o Brasil após a tragédia

Com quase 4 anos desde  o assassinato do major da Força Aérea Norte-Americana, Karl Hoerig, de Newton Falls – OH, a principal suspeita de ter cometido o crime, a brasileira Claudia Hoerig, ainda se encontra foragida, no Brasil. Pressionado, Obama deverá pedir a presidenta Dilma, em encontro nesse fim de semana, para realizar a extradição de Cláudia, que está na lista de criminosos procurados pelo Interpol.

Um promotor da cidade de Trumbull, que conseguiu convencer o grande júri que julgou o caso, de que a brasileira teria comido o crime, afirmou saber onde ela se encontra, bem como órgãos de segurança do governo. Mas ainda é necessário um aval do Brasil para ceder a extradição da brasileira.

Morto a tiros, o corpo do americano foi encontrado em sua casa por seus familiares em Newton Falls. A brasileira, que se tornou cidadã americana através do casamento, fugiu para o Brasil, e tem recebido proteção do país desde então. O pedido de extradição argumenta que, por também ser cidadã norte-americana, a brasileira deve ser obrigatoriamente enviada aos EUA para ser julgada. A Câmara de vereadores da cidade, aprovou uma resolução pedindo a extradição de Cláudia.

Familiares e pessoas que sensibilizaram com o caso tem pressionado o presidente Obama para falar sobre o assunto no encontro desse fim de semana no Rio de Janeiro. O encontro visa estreitar e melhorar as relações econômicas e diplomáticas entre os dois países, com alguns temas relacionados à imigração também na pauta de discussão. Segundo fontes no governo, Dilma pedirá o fim da exigência de vistos para brasileiros e mais oportunidades de bolsas para estudantes no país.

Os ativistas em prol do julgamento da brasileira temem que a presidenta brasileira peça um julgamento do caso no Brasil, forçando a promotoria e testemunhas para uma viagem ao Brasil, colocando-o os americanos em desvantagem no julgamento, segundo informações do site vindy.com.

Segundo matéria do site extra.globo.com, Claúdia reside no distrito de Limiar, em Nova Friburgo (RJ). De acordo com familiares da acusada,ela não trabalha e atualmente faz tratamento psiquiátrico. Para não ser reconhecida, trocou os cabelos pretos e compridos por um corte curto.

Já o advogado de Cláudia, Antônio Andrade, afirma que sua cliente era vítima de constantes abusos sexuais e maus-tratos  pelo marido, e não teve escolha se não acabar com a vida dele, em um momento de fúria. O processo que julgou Cláudia afirma que, dois dias antes do assassinato de Karl, a brasileira comprou uma arma com mira a laser e se inscreveu em aulas de tiro.

Dilma pedirá a Obama vagas para universitários nos EUA

A presidente Dilma falou nesta quinta-feira, em Uberaba, que irá discutir com o presidente dos EUA, Barack Obama, parcerias na área da educação. "Queremos vagas e oportunidade nas grandes faculdades e universidades americanas, nós damos conta das bolsas."

Retomando o discurso da campanha e da posse presidenciais, Dilma voltou a falar sobre a meta de erradicar a pobreza no País, considerada por ela uma "exigência social, ética e econômica".

A presidente também voltou a afirmar que deseja criar um programa nacional para o ensino técnico.

Dilma assinou hoje, em Uberaba (MG), o protocolo para a construção de uma fábrica de amônia, um dos produtos básicos para a formulação de adubos.

Fonte: (da redação)

Top News