Publicado em 21/03/2011 as 12:00am

Cortes do orçamento não poupam indocumentados

O projeto do orçamento 2012 do presidente americano, Barack Obama, faz cortes de gastos públicos em diversos setores, mas apoia o controle fronteiriço e o combate à imigração ilegal, informou o Departamento de Segurança Interior nesta segunda-feira.

O projeto do orçamento 2012 do presidente americano, Barack Obama, faz cortes de gastos públicos em diversos setores, mas apoia o controle fronteiriço e o combate à imigração ilegal, informou o Departamento de Segurança Interior nesta segunda-feira.

Peggy Sherry, responsável pelas finanças do Departamento, disse que o governo federal planeja aumentar os gastos para a compra de tecnologia inteligente a ser utilizada na fronteira com o México.

Além disso, o Departamento também planeja contratar 12 mil agentes fronteiriços adicionais, o que aumentará significativamente sua força atual de 21 mil efetivos, disseram funcionários.

O Departamento também pediu cerca de US$ 242 milhões para atualizar sua tecnologia para o combate ao narcotráfico entre México e Estados Unidos.

PENTÁGONO

Já as verbas do Pentágono destinadas às operações no Iraque e no Afeganistão. Autoridades ligadas à Defesa sofreram redução.

O novo orçamento propõe gastos de US$ 671 bilhões somente para o Exército americano no próximo ano, incluindo US$ 118 bilhões para a Guerra do Afeganistão e as operações no Iraque e no Paquistão.

As verbas totais para o Pentágono, que incluem a defesa nacional, armas nucleares e serviços de saúde e previdência para militares chegam a US$ 702 bilhões, evidenciando uma redução dos US$ 721,3 bilhões que o mesmo setor detinha no ano fiscal de 2010.

Os planos de gastos para os próximos cinco anos no Pentágono também sofreram uma redução de US$ 78 bilhões, indicando as economias propostas pelo próprio secretário da Defesa, Robert Gates, a Obama.

DEFICIT

O orçamento de 2012 anunciado nesta segunda-feira por Obama apresenta uma redução de 2%, a US$ 3,72 trilhões, para diminuir o deficit na expectativa de uma aguardada alta da arrecadação fiscal.

O deficit chegaria em 2012 a US$ 1,1 trilhão, 7% do PIB (Produto Interno Bruto) americano, ante um recorde de US$ 1,64 trilhão (10,9% do PIB) previsto para o ano fiscal de 2011, afirmaram fontes do governo que pediram anonimato.

Com o retorno do crescimento, o Executivo conta com um aumento de 21% na arrecadação fiscal em 2012, a US$ 2,62 trilhões.

Fonte: (FOLHA ONLINE)