Publicado em 25/03/2011 as 12:00am

Brasileiro que matou policial é deportado para o Brasil

João Maximiano, de 51 anos, também conhecido como 'Xurupita', estava preso na Flórida por ter matado um policial no Brasil há duas décadas. Deportado na semana passada, ele responderá as acusações em território brasileiro

O brasileiro João Maximiano de Oliveira, responsável pelo assassinato de um policial no Brasil  há 20 anos, e que estava preso na Flórida, foi deportado nessa semana para o Rio de Janeiro, para responder pelas acusações em território brasileiro.

João Maximiano, de 51 anos, também conhecido como ‘Xurupita’, foi pego sob custódia há 2 anos,  após algum tempo de investigação, de acordo com o agente especial David Billitier , do FBI. Segundo o agente, o capixaba é acusado de atirar contra um policial com uma arma calibre .22 durante uma emboscada em Vitória – ES, em crime ocorrido há duas décadas.

Foragido

Após cometer o crime, ele adentrou ilegalmente os EUA em 1991, e residiu na Flórida por mais de 15 anos e também por algum tempo em Massachusetts. Na Flórida, ele trabalhou como ‘handyman’ , mecânico e vendedor de carros. Ele também alugava apartamentos para outros brasileiros em Broward County. Apesar do crime, ele não tinha históricos de prisões nos EUA e teve dois filhos com a mesma mulher. “ Ele estava bem estabilizado vivendo nos EUA” afirmou o agente David ao jornal Miami Herald.

Contato da polícia brasileira

As autoridades da Flórida começaram  a procurar pelo acusado após a polícia brasileira contactar o FBI no Brasil e ouvir suspeitas de que ele estaria vivendo na Flórida. Após alguns meses, os investigadores descobriram algumas casas das quais o brasileiro estaria alugando e conseguiram identificar o seu paradeiro. Eles o acharam em sua casa em Deerfield Beach, onde ele foi preso com a ajuda da polícia de Fort Lauderdale, do Broward Sheriff's Office e do ICE.

Em seu depoimento de defesa, ‘Xurupita’ disse que o crime aconteceu porque defendeu a sua vida e que depois do crime, foi ameaçado várias vezes. Foi então que decidiu fugir e se mudar, ilegalmente, para os Estados Unidos. Mesmo depois de tanto tempo após o assassinato, Xurupita afirma que tem medo de morrer motivado por vingança. “Apesar do grupo de extermínio ter sido desativado, os seus ex-membros estão espalhados por todo o país”, fala.

Autoridades do ICE em conjunto com a polícia brasileira atuaram para realizar o retorno do capixaba ao Brasil.

Fonte: (da redação)