Publicado em 15/04/2011 as 12:00am

Brasileiros opinam sobre programa anti-imigrante

A administração do governo de Massachusetts anunciou há alguns meses, uma agenda de encontros com ativistas e lideranças da comunidade brasileira, no intuito de responder à dúvidas e esclarecer quanto à expansão do programa Secure Communities

A administração do governo de Massachusetts anunciou há alguns meses, uma agenda de encontros com ativistas e lideranças da comunidade brasileira, no intuito de responder à dúvidas  e esclarecer quanto à expansão do programa Secure Communities em Massachusetts. O programa, que dará autoridade para policiais estaduais atuarem em parceria com o ICE, tem criado muita polêmica por levantar o risco de discriminação e medo na relação entre a polícia e a comunidade. O Brazilian Times foi às ruas ouvir dos brasileiros sobre a eficácia dos encontros e sobre as consequências do programa

 

Cláudio Nascimento, comerciante, natural de São Paulo – SP, reside em Everett – MA, mora há 10 anos nos EUA

“ Apesar dos encontros, eu só vou acreditar na lei, quando ela for assinada de fato. Já estou aqui há muito tempo e as pessoas sempre falam que vão assinar leis contra os imigrantes, o que nunca acontece. Só acredito no dia em que o governador declarar que foi assinada”

 

Leocir Ferreira, comerciante, natural de Jardim – MS, reside em Everett – MA, mora há 6 meses nos EUA

“Não acho que os encontros vão mudar a decisão de expandir o programa. Os imigrantes tem que começar a agir com mais cautela, não dirigir sem carteira, ou qualquer outra atitude que está indo de encontro à lei”

 

Vanda Cocchia, empresária, natural de Sardoá – MG, reside em Revere – MA, mora há 12 anos nos EUA

“Mesmo que eles queiram ouvir os brasileiros, caso a lei seja assinada, o comércio brasileiro será um dos mais afetados.  Os policiais já agem com discriminação contra os imigrantes, essa lei só vai dar autoridade a eles de fazer o que eles já fazem, que é denunciar os imigrantes”

Gladmir Pacheco, gerente de restaurante, natural de Joinville – SC, reside em Malden – MA, mora há 4 anos nos EUA

“Eles estão fazendo esses encontros porque sabem da importância dos imigrantes para a economia do estado, mas pelo que eu li a respeito, o governador não tem escolha. Eu tenho convicção que a partir do momento que a lei for assinada, grande parte da comunidade brasileira vai embora, com medo da lei. O país como um todo vai sair prejudicado, porque o americano não realiza certos trabalhos que os imigrantes aceitam fazer”

Leonardo Freitas, trabalha com construção, natural de Governador Valadares – MG, reside em Malden – MA, mora há 4 anos nos EUA

“ Eu sou a favor que se prenda os imigrantes criminosos, que tem muitos por ai. Aqueles que são honestos e corretos, não tem o que temer, desde que sejam precavidos, que não façam nenhuma ‘besteira’. Os encontros  estão informando os brasileiros para eles agirem corretamente e evitarem serem pegos”

José Magno Maciel, pintor, natural de Governador Valadares – MG, reside em Malden – MA, mora há 20 anos nos EUA

“ Os encontros são bons para alertar os brasileiros de como agir a partir de agora.  Eles querem apenas os bandidos, que cometeram crimes e estão sendo procurados pela justiça. Esses tem que ser pegos mesmo”

 

 

Ulisses Ferreira, artista plástico, natural de Salvador – BA, reside em Jamaica Plan, mora há 6 anos nos EUA

 

“Ser imigrante não é ser criminoso, é isso que as pessoas devem mostrar nesses encontros. Esse país é construído por imigrantes, as culturas difundidas, tudo forma o que conhecemos como Estados Unidos da América. Esse programa vai criar frustação e medo nas pessoas”

 

 

Fonte: (da redação)