Publicado em 20/04/2011 as 12:00am

Homem que fez sexo com cadáver de brasileira é condenado

Bernard Keith Howell, de 27 anos, afirmou ter cortado o pescoço da massagista Vanda Boone, de 60 anos, e ter praticado sexo com o cadáver da brasileira

Um americano acusado de assassinar uma brasileira em agosto do ano passado, em Olympia- WA,foi finalmente julgado no último dia 7 de Abril, e sentenciado a 26 anos  e 8 meses de prisão. Bernard Keith Howell, de 27 anos, afirmou ter cortado o pescoço da massagista-terapeuta, Vanda Boone, de 60 anos,  além de praticar sexo com a vítima morta, e ter escondido o corpo em um saco de dormir.

Segundo os investigadores, a brasileira, que trabalhava como massagista na Radiance Herbs and Massage, estava andando de bicicleta pelas ruas de Olympia quando foi atacada pelo americano. Inicialmente tratado como um deficiente mental,  Bernard passou alguns meses em tratamento no Western State Hospital após o incidente, e nunca escondeu a autoria do crime.

O americano admitiu ter cortado o pescoço da brasileira de 60 anos e  depois também revelou que fez sexo com o corpo da vítima, após assassiná-la, procedimento conhecido como necrofilia. No carro do acusado, os detetives descobriram ‘sacos plásticos, zíperes, cordas e um peso de academia de 10 quilos” segundo informações da Côrte da cidade.

A brasileira estudava na Ramtha’s School of Enlightenment e tinha mudado de New York para Olympia em 2009. Amigos da brasileira em New York, Brasil, e Olympia organizaram velórios e vigílias para Vanda.

Uma amiga da massagista, Lori Drayson, escreveu um testemunho para ser adicionado ao processo. “Como pode alguém pode colocar em palavras a dor que estamos sentindo agora, da morte de uma vida linda que foi perdida por um ato tão violento como esse? Como vamos apagar de nossas memórias a imagem que uma amiga amada  como ela?” desabafou a colega de trabalho da brasileira. O pai do acusado, afirmou na época, que o crime pode ter ocorrido sob influência da droga Metanfetamina.

Mesmo após o cumprimento da sentença, Howell será obrigado a prestar serviços comunitários por 3 anos, além de frequentar um tratamento para a dependência química. Como se não bastasse, também fica proibido de realizar qualquer contato ou aproximação com as testemunhas do caso.

O julgamento, que durou aproximadamente uma hora, contou com o réu se desculpando pelo assassinato da brasileira e demonstrando preocupação com a sua integridade física na prisão.  “Apenas Deus sabe o quanto eu me arrependo. Se Jesus Cristo quiser, eu terei uma família um dia” afirmou ele, segundo o jornal The Olympia. “ Eu espero poder sobreviver na prisão. Muitos vão querer me matar por isso” completou ele, falando ao juiz da audiência.

Fonte: (da redação)