Publicado em 22/04/2011 as 12:00am

Obama realiza encontro com 70 autoridades para pressionar aprovação

Entre os presentes ao encontro, estavam o ex-prefeito de NY, Michael Bloomberg, o ex-governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, e a chefe-executiva do site Facebook, Sheryl Sandberg

Na terça-feira(19), o presidente Barack Obama realizou um encontro com 70 líderes nacionais para falar sobre Imigração e uma possível reforma no setor. Estiveram presentes, o ex-prefeito de NY, Michael Bloomberg, o ex-governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, o líder evangélico Leith Anderson, e a chefe-executiva do site Facebook, Sheryl Sandberg, entre outros, com o intuito de discutir um caminho para a legalização de milhões de imigrantes.

Enquanto alguns ativistas elogiaram o compromisso do presidente com uma reforma de imigração, o fato de o encontro ter contado com a presença de um grupo de líderes diversificado e de diferentes áreas, trouxe a dúvida da importância do tema durante o encontro e da dependência do presidente com relação ao congresso no tratamento da problema.

De acordo com um comunicado oficial da Casa Branca, o presidente demonstrou insatisfação com o congresso pela falha em produzir um projeto compreensivo de reforma imigratória, ou até mesmo medidas relacionadas ao tema, como o Dream Act, que ofereceria um caminho para milhares de estudantes indocumentados. Durante o encontro, ele enumerou diversos problemas associados com o defasado sistema de imigração, com políticas que desmantelam famílias, mandam talentos acadêmicos embora e causam disparidades salariais no trabalho e na elegibilidade na aplicação para um emprego. Obama salientou porém,  que a sua adminstração continua a desenvolver o sistema legal de imigração, fortalecendo a fronteira e a atuação contra estrangeiro criminosos. Em contrapartida, pesquisas afirmam que Obama é visto como pouco ambicioso e efetivo com relação ao setor.

Embora marcado pelo otimismo, Obama adotou novamente o discurso de que está de ‘mãos atadas’ para tomar uma medida mais concreta, por causa da inação do congresso. “ A única maneira de consertar o que está quebrado no nosso sistema de imigração, é por uma ação legislativa do congresso” disse, na terça-feira. “ Acima de tudo, foi uma jogada política em sua estratégia de reeleição. Espero que realmente ele tenha essa vontade legítima de conseguir unir as partes opositoras com respeito ao tema, e aprove uma reforma antes do fim do seu primeiro mandato, mas as chances são pequenas” opina Natalícia Tracy, diretora-executiva do Centro do Imigrante Brasileiro – CIB. “ Foi uma maneira de dizer aos imigrantes que ele não esqueceu da gente e que pretende cumprir a promessa que fez na sua campanha de primeiro mandato. Embora apreensiva, permaneço otimista” completou Natalícia.

A opinião também é compartilhada pela presidente da ONG Centro-Presente, Patrícia Montes, que não vê nenhum interesse real do presidente em reformar o sistema de imigração. “ Ele teve a oportunidade durante o primeiro mandato e não fez, e continua demonstrando pouca vontade em agir de fato com relação ao tema” afirma ela. Patrícia afirma que o encontro foi uma estratégia política, também relacionada à sua reeleição. “ O governo dele tem feito um péssimo trabalho na proteção aos imigrantes. Nunca se deportou tanto como nos últimos anos, e apesar de achar que ele possa agir algum dia, ele ainda não mostrou essa vontade”

Fonte: (da redação)