Publicado em 29/04/2011 as 12:00am

Esquartejamento de brasileiro no México é esclarecido

O assassino esquartejou o corpo de Christina e escondeu os pedaços em três malas

A polícia mexicana conseguiu desvendar o crime de assassinato da brasileira Christina Arre Verri, 57 anos. Ela foi brutalmente morte e teve o seu corpo esquartejado pelo mexicano Miguel Ángel Vásquez, 47 anos. Os investigadores encontraram o corpo dela cortado em pedaços e guardado em três malas abandonadas nas ruas de Monclova, na cidade do México.

O subprocurador mexicano, Luis Genaro Vásquez Rodrígues, disse que apesar da polícia ter descoberto quem foi o autor, ainda não foram esclarecidos os motivos do crime. Mas uma testemunha, que reside no prédio onde moravam a brasileira e o acusado, revelou para a polícia que no dia 18 de abril, por volta das 15 horas, um homem e duas mulheres, entre elas Christina, estiveram na casa de Miguel.

Em seu depoimento, a testemunha afirma que escutou gritos, discussões e barulho como se alguém tivesse apanhando. “Em seguida, eu vi Christina com a cabeça apoiada em um lavador e manchas de sangue entre as suas pernas”, fala ressaltando que viu quando Miguel limpou a cena do crime, ainda no mesmo dia. “Mas antes ela ficou sangrando do lado de fora do apartamento e as duas pessoas que estavam juntas levaram-na de volta para a casa do agressor”, continua.

O corpo da brasileira foi encontrado no final de semana passado e foi graças ao depoimento da vizinha que a polícia chegou ao autor do crime e no apartamento de Miguel foram encontrados uma faca, cabos, cordas e um par de tênis com manchas de sangue.

Depois que a polícia encontro as malas e os restos mortais da brasileira, alguns vizinhos também apontaram para Miguel como sendo o autor do crime. A polícia divulgou que ele é viciado em maconha e era amigo de Christina. Ela morava havia 10 anos no México e estava com sua situação imigratória legalizada.

Nos últimos anos, 111 mulheres foram assassinadas brutalmente na Cidade do México e 78% dos casos foram solucionados.

 

Fonte: (da redação)