Publicado em 12/05/2011 as 12:00am

Obama realiza discurso clamando por Reforma Imigratória

Obama não poupou críticas aos congressistas, em especial os republicanos, pela falta de ação no tratamento do tema

Em discurso realizado na tarde dessa terça-feira(10)em El Paso -TX, o presidente dos EUA, Barack Obama, clamou por uma pressão popular para que o Congresso aprove um amplo projeto de reforma imigratória  integral.

Culpando a falta de compromisso dos congressistas republicanos acerca do tema, Obama não poupou críticas. “Nós fizemos além do que os republicanos requisitaram para conseguir o apoio deles na aprovação de uma reforma. Eles afirmaram que iriam apoiar uma ampla reforma caso nós nos mantivéssemos mais sérios na aplicação da lei.  Mas mesmo depois de entrarmos em um acordo, eu suspeito que eles vão mover nossos objetivos” afirmou Obama.

Ele alertou para o compromisso dos imigrantes em cobrar dos políticos a aprovação da reforma. "Esta mudança tem que ser conduzida por vocês, para que nos ajudem a conseguir uma reforma integral", pediu Obama em um discurso para centenas de pessoas, na qual disse que a reforma é um "imperativo econômico"."Peço a vocês que coloquem suas vozes neste debate. Precisamos que Washington saiba que há um movimento em favor da reforma que ganha força de costa a costa. Assim conseguiremos" completou.

Esse foi o segundo discurso de Obama inteiramente dedicado ao tema, desde que assumiu a presidência. Obama assegurou que continua apoiando e que vai lutar pela aprovação do Dream Act, que geraria um caminho para a legalização de estudantes que chegaram em situação irregular no país antes dos 15 anos, que completaram o high school no país e que estão na faculdade há pelo menos dois anos. O projeto tenta passar no senado há pelo menos 10 anos, mas nunca conseguiu a aprovação necessária dos congressistas.

Embora em tom de esperança, Obama não revelou nenhuma estratégia ou alternativa para tentar avançar no debate migratório. Nos Estados Unidos vivem cerca de 11 milhões de imigrantes indocumentados, a maioria deles de origem hispânica.

Para as eleições do ano que vem, na qual tentará a reeleição, o presidente precisa se aproximar dos eleitores hispânicos e brasileiros, comunidade que mais cresce nos EUA. Três anos atrás, essa comunidade deu-lhe forte apoio eleitoral, mas anda decepcionada pelo aumento das deportações e da falta de perspectivas em favor de uma regularização dos imigrantes ilegais.

A ampla reforma imigratória deverá incluir a segurança nas fronteiras, sanções para as empresas que empregam pessoas em situação irregular e um processo mais claro, incluindo também multas e penalidade para os que estão no país indocumentados e queiram aplicar para a legalização, lembrou Obama.

Fonte: (da redação)