Publicado em 6/06/2011 as 12:00am

Brigas entre gangs faz vítima brasileira na Flórida

O jovem Jason Carvalho, de 15 anos, está em coma após vários golpes na cabeça durante uma briga entre gangs de Deerfield ? FL

Em coma por conta de uma briga que terminou em tragédia, o adolescente Jason Carvalho, de 15 anos,  de Deerfield – FL, está sendo vinculado a ligações com gangs de brigas na cidade, e a gravidade das agressões o podem deixar com seqüelas físicas e mentais para a vida toda.

Segundo informações do jornal Sun Sentinel, da Flórida, a mãe do garoto ainda mantém esperança de ver o filho reabilitado. “ Ele passou pelo estágio de correr risco de vida, com duas cirurgias no cérebro e talvez até precise de outros procedimentos cirúrgicos” afirma Doriane Carvalho, explicando que o filho foi golpeado por uma algo pesado e duro na cabeça, o que causou o forte traumatismo.  Segundo o Xerife do Condado de Broward, a briga teria ocorrido no bairro Pompano Highlands.

Mais uma vítima dos cada vez mais constantes incidentes envolvendo jovens ao redor de Pompano Beach e Deerfield, o episódio é o terceiro em menos de 6 meses, segundo as autoridades locais. Doriane Carvalho afirma que seu filho não é membro de nenhuma gangue. “Ele e seus amigos passam o dia em nossa casa todos os dias ou na casa de outros amigos”, afirmou ela ao Sun Sentinel. “Eles jogam games, fazem coisas de adolescentes. Caso eles sejam de algum grupo, são uma gangue de jogadores de vídeo game” ironizou ela.

Cada vez mais a violência entre jovens assola a região nordeste do Condado de Broward e a polícia ainda não descobriu as causas do problema. Doriane disse que os detetives a informaram que planejam acionar judicialmente o seu filho, sob a alegação de que ele foi um dos instigadores da briga, assim que se recuperar. A porta-voz do escritório do xerife, Veda Coleman Wright, confirmou a possibilidade da ação, acrescentando que o detetive da Unidade de Crimes Violentos, Valerian Perez, está avaliando o caso com promotores públicos, segundo o Sun Sentinel. Doriane disse ao jornal Gazeta News,  que os médicos a informaram ainda ser cedo demais para determinar a ocorrência de algum dano cerebral provocado pela pancada na cabeça de seu filho ou, como ela se referiu, “se ele será um menino de 3 anos de idade para o resto da vida”.

Doriane é separada e, antes do incidente com Jason, trabalhava na faxina e em um restaurante. Ela se preocupa com a segurança de seus outros dois filhos, Paul Asar, 20 anos, e Cassandra Toth, 22 anos, e com outros adolescentes na vizinhança. Emocionada, ela fez um apelo aos jovens em sua vizinhança envolvidos em violência. “Isso tem que parar aqui”.“O que está acontecendo, esse milagre de meu filho se recuperar, não foi em vão. Vamos salvar outros jovens de passarem pelo que ele passou ou mesmo da morte”, disse ela ao jornal brasileiro, acrescentando que não se sente segura no  bairro Pompano Highlands, onde vive há oito anos.

Ela se diz inconformada pelo fato de os amigos de Jason serem levados pela polícia, enquanto os agressores alegaram legítima defesa e não foram presos.

Fonte: (Sun Sentinel / Da redação)