Publicado em 15/06/2011 as 12:00am

Brasileira é eleita coordenadora da Harvard University

A consultora econômica, Flávia B. de Almeida, foi nomeada para o quadro de coordenadores da universidade em concorrida eleição com outros 8 candidatos

Por Marcelo Zicker


A presidência da Harvard Alumni Association(HAA), da Harvard University, anunciou os resultados da eleição anual para o quadro de coordenadores da universidade ( ou Harvard Board of Overseers). Divulgado no jantar anual da instituição, o resultado contou com uma agradável surpresa para os brasileiros. A consultora econômica internacional, Flávia B. de Almeida, foi nomeada umas das coordenadoras da Harvard.

Natural de São Paulo, Flávia faz parte do The Monitor Group, uma companhia internacional de consultoria, especializada em estratégia corporativa, e administração pública. Formada pela Fundação Getúlio Vargas, e mestre pela Harvard Business School em 1994, a brasileira sempre manteve um relacionamento próximo com a instituição. “Em um tempo em que poucos estudantes internacionais poderiam até mesmo sonhar em um dia fazer parte da Harvard, eu fui atrás do meu sonho de estudar na universidade, vendendo todos os meus artigos pessoais para conseguir financiar esse objetivo” afirmou ela ao site da Harvard, durante a campanha de eleição.

Após finalizar o mestrado, Flávia retornou ao Brasil, onde ganhou grande destaque à frente da The Monitor Group, no setor de consultoria. Construindo uma reputação de ponta no setor de estratégia, administração e organização corporativa, a paulista foi a primeira mulher a ser eleita como parceira da gigante do setor McKinsey & Company  e como diretora de controle de ações financeiras da Camargo Corea Group, multinacional com operações na América latina e África. Além disso, também é membro da Young Presidents Organization and Women Corporate Directors.

As relações com a universidade não pararam no mestrado. Flávia já assumiu a presidência da HBS Alumni Association Club of Brazil, e serviu como vice-presidente HBS Alumni Board, bem como também fez parte da área de recrutamento e entrevistas de candidatos ao MBA da Harvard, papel que cumpria desde a sua graduação na instituição.

Para a brasileira, a ‘ Harvard deve alcançar e gerar impacto nos futuros líderes globais, gerando compreensão da grande transformação que o mundo está passando, e criando uma ambiente de assimilação dessa conjuntura’.  Ela afirma que a experiência internacional é um fator determinante na boa administração de uma instituição como a Harvard. “ Eu vou utilizar a minha experiência trabalhando em outros países, que mesmo com grande volatilidade e incertezas administrativas,  alcançaram o sucesso por conta de planos de inovação bem implementados. É dessa maneira, que pretendo buscar a excelência em situações de transformações e adversidades” afirmou ela, durante campanha.

Juntamente com Flávia, outros 4 candidatos foram eleitos para o quadro de coordenadores da Harvard. Richard W Fisher, presidente do Banco Central de Dallas, Verna C. Gibbs, professor de cirurgia clínica da Universidade da Califórnia, Nicole M.Parent, diretora da organização de pesquisa Vertical Research Partners, e Kenji Yoshino, chefe do departamento de Constitutional Law da New York University. Os 5 eleitos, cumprirão um mandato de 6 anos e foram eleitos dentre 8 candidatos, indicados pelo comitê de eleição da universidade no dia 26 de Maio.


Fonte: (da redação)