Publicado em 15/06/2011 as 12:00am

Brasileiros estão entre os 210 imigrantes presos em caminhão

presas em dois caminhões, também na região de Chiapas. Pelas estimativas levantadas, esta prisão renderia aos traficantes US$ 3,5 milhões.

No domingo (12), a polícia mexicana descobriu 210 imigrantes amontoados em um caminhão estilo baú nas proximidades da fronteira ao sul, onde o México faz limites com a Guatemala. A notícia foi divulgada pelo departamento de imigração na manhã de segunda-feira (13).

Segundo as informações divulgadas, os imigrantes estavam desidratados e passando fome e eles só foram descobertos porque os agentes resolveram fazer uma revista no veículo. O motorista foi preso junto com seu assistente. Os dois vão ser transferidos para uma prisão de segurança máxima, onde agudarão o processo de julgamento.

Quanto aos imigrantes, o departamento informou que eram oriundos, principalmente, do Brasil, Guatemala, El Salvador e Nicarágua. Mas também haviam pessoas vindas da Índia. Ao noticiar a prisão e relatar a maneira como eles foram encontrados, o oficial afirmou que “foram colocados no veículos de tal maneira que não podiam se movimentar”.

Outra informação que chocou as pessoas foi que há mais de 24 horas os imigrantes não se alimentavam e bebiam qualquer tipo de líquido. Após a prisão todos foram medicados receberam alimentação e água.

Após receberam os tratamentos adequados para garantir a saúde, os imigrantes foram encaminhados para uma estação de deportação em Chiapas, região onde ocorreu a prisão. Agora eles aguardam os trâmites do processo para serem encaminhados de volta aos seus países de origem.

O objetivo destes imigrantes era atravessar o México e chegar na fronteira com os Estados Unidos, para entrar ilegalmente no país. Mesmo com toda a fiscalização imposta pelo governo estadunidense para garantir a proteção na fronteira, o fluxo de imigrantes tentando cruzá-La ainda é frequente.

A cada ano, centenas de milhares de pessoas passam pela fronteira sul do México com destino à fronteira com os EUA. Pesquisas e estudos feitos sobre o assunto mostram que a maioria destes imigrantes são contrabandeados em situações desumanas, além de estarem sujeitos à extorsão, roubo e serem sequestrados ao longo da viagem.

Dados divulgados pelas Organizações das Nações Unidades - ONU relatam que o contrabando de pessoas para os Estados Unidos é um negócio que movimenta em torno de US$ 6 bilhões por ano. Neste valor não está incluso os mais de US$ 1 bilhão que são pagos aos “coiotes” mexicanos por pessoas que chegam sem ajuda ao México. Este relatório foi divulgado em 2010 e fazia um análise da criminalidade transnacional.

O tráfico de imigrantes pela fronteira do México com a Guatemala se tornou comum, depois que o governo mexicano dificultou a entrada das pessoas pelos aeroportos do país. Apenas no mês passado, 513 pessoas foram presas em dois caminhões, também na região de Chiapas. Pelas estimativas levantadas, esta prisão renderia aos traficantes US$ 3,5 milhões.

Apesar dos imigrantes não terem sido liberados para falar com a imprensa, um jornal de Chiapas conseguiu contato com um deles. Identificado por William, 43 anos, ele afirmou que pagou US$ 3 mil para ser levado até os Estados Unidos, onde tentaria encontrar um trabalho.

Fonte: (da redação)