Publicado em 17/06/2011 as 12:00am

Imigrante pode perder GC por tráfico de drogas

Uma mulher que vive há mais de 50 anos nos Estados Unidos pode ser deportada por crimes de tráfico de drogas. Maria Renda, 55, chegou a este país quando tinha 10 meses de idade, trazida pelos seus pais.

Uma mulher que vive há mais de 50 anos nos Estados Unidos pode ser deportada por crimes de tráfico de drogas. Maria Renda, 55, chegou a este país quando tinha 10 meses de idade, trazida pelos seus pais. Ela estava presa há um mês e foi colocada em liberdade na quarta-feira (15) para responder ao processo em liberdade, mas corre o risco de ser deportada mesmo com Green Card.

O problema é que mesmo que uma pessoa tenha o Green Card, ela ainda não é considerada uma cidadão dos Estados Unidos. Por isso, qualquer delito considerado grave pode custar a perca da legalidade no país e consequentemente a expulsão.

O advogado de Maria explica que o primeiro passo era tirá-la da cadeia e que agora iniciará o processo de defesa para que ela não seja deportada para a Itália, o seu país de origem. “Ela não possui vínculo algum com a terra onde nasceu e poderá sofre com o choque de diferenças”, explica.

A família está preocupada com a saúde de Maria. O irmão Paul Renda disse que ela está debilitada, pálida e sofre com problemas de depressão e transtorno bi-polar.

Renda já havia aplicado para se tornar cidadão dos Estados Unidos, mas não conseguiu pois tem recorde criminal e um passado de crimes. Existem duas condenações na década de 80 e com esta última condenação por envolvimento com entorpecentes, a situação se complicou.

O advogado tenta justificar a necessidade dela permanecer nos Estados Unidos e fala que “Maria ama este país e sua vida foi construída aqui”. A professora de Direito da Universidade da Columbia, Christina Burnett Duff, disse que há caminhos que advogados de imigração podem trilhar para vencer processos de deportação. “Mesmo assim será uma luta difícil, pois a ré tem um passado negro”, acrescenta.

Alguns de seus familiares tentam justificar os crimes praticados, dizendo que ela teve uma infância sofrida. Segundo eles, enquanto os seus oito irmãos saíram de casa para formar suas famílias, Maria teve que ficar para cuidar dos pais idosos que sofriam de problemas cardíacos.

Quando sua mãe morreu em 1984, ela foi pega usando drogas e respondeu pela práticas de alguns crimes leves.

Fonte: (da redação)

Top News