Publicado em 20/06/2011 as 12:00am

A arte pelo olhar do ator Gervásio Fernandes

A trajetória e a carreira do ator paulista, que fez da arte de atuar, uma maneira divertida de encarar a vida

 “A vida imita a arte, muito mais do que a arte imita a vida”, a frase do poeta irlandês Oscar Wilde,  pode muito bem ser atribuída ao ator Gervásio Fernandes, que com humor, leva para os palcos situações cotidianas de uma forma divertida e emocionante, arrancando aplausos e risos por onde passa.

Um sonho de infancia

A vontade de atuar era um sonho que Gervásio tinha desde criança. Na época da escola, sempre que tinha oportunidade, participava de peças teatrais, mas foi só aos 16 anos, que surgiu a chance de ter o primeiro contato com a arte.“ Vi um anúncio no jornal de  que precisavam de figurantes para o filme O beijo da Mulher Aranha, do diretor Hector Babenco. Decidi tentar uma vaga e consegui. Fiquei maravilhado quando cheguei no set de gravação e me deparei com atores que conhecia desde a infância, como a Sônia Braga e o Raul Julia”, diz o ator. E mesmo sem nenhuma cena que ele gravou no filme, Gervásio relembra com carinho a experiência que para ele foi muito gratificante. Mas não pensem que foi à partir dessa experiência que a carreira do ator foi alavancada. Depois das filmagens, ele não se dedicou mais a arte de atuar, e teve vários outros trabalhos no Brasil. A vontade de interpretar ressurgiu quando ele se uniu a mais dois sócios e abriram um Café em São Paulo, cidade natal do ator, que também era utilizado como espaço cultural, que exibia pequenas peças teatrais e exposições de livros e música. Em uma dessas peças teatrais que o então comerciante, conheceu um professor de teatro e decidiu retomar o grande sonho de infância.

A decisão mais importante

Mas como nem tudo são flores, a vida também ‘pregou uma peça’ em Gervásio. Vendo que o tempo estava passando e a situação continuava sempre a mesma, tomou uma decisão que mudaria não só a carreira, mas também a vida do ator.  E como acontece com quase todos os brasileiros, a história de Gervásio não foi muito diferente, deixando para trás a familia e amigos para tentar conquistar uma vida melhor na ‘América’. Veio para ficar por pouco tempo, e já está aqui há 6 anos. No país, Gervásio encontrou muitas dificuldades, contando que como todo imigrante, sofreu com as diferenças culturais. “No início foi muito dificil para me adaptar, ainda sofro, mas não reclamo, foi o que escolhi para minha vida e sou feliz”, conta.

“Fiquei maravilhado quando cheguei no Set para gravar e me deparei com atores que eu conhecia desde a infância”

Ainda no Brasil, Gervásio participou da peça teatral ‘Tão Feliz’, onde interpretou uma cigarra, personagem criado por ele e que é um dos mais marcantes na carreira do ator. Mas foi aqui na América que conquistou “seu lugar ao Sol”. Em 2008, o ator participou do concurso Talento Brasil em Miami e ganhou o segundo lugar. A primeira atuação nos Estados Unidos foi em 2009 com o grupo teatral Agazzara na peça a Formiga Fofoqueira. Depois disso, não parou mais, no mesmo ano Gervásio participou do Festival de Piadas em Boston onde interpretou a Chapeuzinho Vermelho. Já em 2010, o ator interpretou a freira Virgulina, na peça Mudança de Óbito e também um dos papéis que o consagrou na arte de representar aqui nos Estados Unidos: Ednirson de ‘Os Silva na América’? Na peça, Gervásio interpreta dois personagens.  De dia ele é um homem, e à noite, se transforma na deslumbrante Valdete Sky, uma Drag Queen que arranca gargalhadas do público.

O reconhecimento do publico

            “A minha maior emoção, é quando antes de começar uma peça, abro as cortinas do teatro e vejo que a casa está cheia, que a comunidade brasileira está ali apoiando os artistas da nossa ‘terra’”. É assim que Gervásio responde quando perguntado como é a aceitação do público, em especial o brasileiro. “Por estar tão distante da cultura, dos costumes, do calor brasileiro, a população está valorizando cada vez mais os artistas, e isso é muito bacana”, complementa.

Mesmo tendo uma grande aceitação do público, o ato conta que não é facil montar uma peça teatral aqui, é um caminho longo que precisa ser trilhado aos poucos, por que de acordo com Gervásio, é muito dificil conseguir patrocinadores que queiram investir em arte e cultura. Por isso, as peças geralmente não acontecem sempre. Fato que não desanima o ator, que sente que a situação está aos poucos mudando. Segundo ele, os empresários estão mais atentos ao retorno do público.

Um desejo antes de partir

            Levar um sorriso, um momento de alegria e descontração para o público, é com esse objetivo que Gervásio sobe aos palcos. Para ele, atuar e passar uma interpretação verdadeira, é tocar no coração das pessoas. E quando o assunto é o que significa ser ator, ele faz de um trecho do poema de Alexandre ‘O Grande’, suas palavras: “ Ser ator é ouvir para não esquecer, para representar no imaginário e fantasia aquilo que não poderia ser a realidade (mas é). Ser ator é ver a cortina se encerrar para no palco, se sentar e indefinidamente aguardar o verdadeiro espetáculo da vida”.


“A minha maior emoção é quando antes de começar uma peça, abro as cortinas do teatro e vejo que a casa está cheia” (

 

Gervásio ainda não faz da arte de representar sua única profissão, ‘pelas dificuldades que é ser ator por aqui, tem que trabalhar em outra área para se manter’. Atualmente ele divide a profissão de atuar com a de operário em uma fábrica de letras. Mas não desistiu do sonho, e antes de ir embora para o Brasil definitivamente, quer montar um belo espetáculo teatral para a comunidade brasileira. Assim vai levar dos Estados Unidos não só a experiência de viver por tanto tempo longe de casa, mas também o orgulho de ter feito um belo trabalho por aqui.

Personagens de destaque na carreira de Gervásio Fernandes

·         A  Cigarra – na peça Infantil Tão Feliz

·         A Ex miss Diva Wonder

·         A Garota Solitária

·         A Freira Virgulina – Espetáculo Mudança de Óbito

·         O Ednirson Silva – Espetáculo Os Silva na América

Fonte: (Por Flávia Rosado)