Publicado em 4/07/2011 as 12:00am

Artigo expõe falhas do Comunidades Seguras

Um artigo recentemente divulgado em um jornal de Boston, acionou para falhas e incoerência do programa Secure Communities, também conhecido como Comunidades Seguras

Um artigo recentemente divulgado em um jornal de Boston, acionou para falhas e incoerência do programa Secure Communities, também conhecido como Comunidades Seguras. Grupos pró-imigrantes e de defesa dos direitos humanos, já começaram a se manifestar sobre os detalhes do artigo, defendendo as críticas. “Os casos revelados em matéria do Boston Globe só reforçam o que estamos dizendo há meses: o Comunidades Seguras é um programa falho e injusto, que permite que trabalhadores sejam alvo de medidas destinadas a capturar pessoas perigosas para a sociedade. Ele não funciona e precisa acabar”. A declaracão é da diretora-executiva do Grupo Mulher Brasileira ao comentar artigo publicado na edição de domingo do jornal bostoniano, que relata o caso de três brasileiros sem antecedentes criminais que estão sendo deportados por causa da adesão da cidade ao Comunidades Seguras.

“Não tem meio termo neste caso”, frisou Heloisa. “A única maneira de garantir a integridade das nossas famílias e comunidades e a única forma de restaurar a confiança dos residentes nas autoridades policiais é acabar com o programa”. Heloisa manifestou sastisfacão com a declaração do Chefe de polícia de Boston, Edward Davis, que admitiu que se mais casos como os descritos pelo jornal aparecerem, ele vai pedir o fim do programa. Boston é a única cidade do Estado a fazer parte do Comunidades Seguras.

“Boston é líder em muitas coisas, educação, atendimento aos seus residentes, tem um Departamento para dar as boas vindas aos imigrantes, até celebra a presença de novos imigrantes todo mês de setembro com uma festa em Government Center. Não faz nenhum sentido ter o Comunidades Seguras em uma cidade como Boston. Nós acreditamos que tanto o prefeito como o comissário de polícia são pessoas justas e querem o melhor para a cidade. A esta altura, a única coisa que podem fazer é colocar um ponto final nisso”.

O Grupo Mulher Brasileira já há algum tempo está pedindo a pessoas que tenham sido paradas pela polícia de Boston e entregues à imigração e que não têm antecedentes criminais para contarem suas histórias, como fizeram Lindomar da Silva, Lizandra deMoura e Leonardo Machado. “Nós temos absoluta confiança que a justiça vai falar mais alto e que ao contarmos histórias como estas, estamos ajudando a provar que este programa só divide famílias, enfraquece nossas comunidades e mina a nossa confiança nas autoridades. A coragem de Lindomar, Leonardo e Lizandra merece ser recompensada e multiplicada” afirma Heloísa.

Quem quiser conversar com o GMB pode ligar para 617-787-0557 ramal 15 ou mandar email para heloisa@verdeamarelo.org. Liguem também para o gabinete do prefeito Tom Menino. 617-635-4000, e peçam para ele encerrar o Comunidades Seguras em Boston ou para o Escritório dos Novos Bostonianos, no numero 617-635-2980.

Fonte: (GMB)