Publicado em 25/07/2011 as 12:00am

Brasileira ajuda polícia a prender traficante de Oxycodone

A droga ganhou popularidade entre os jovens do país durante a última década, em razão de sua similaridade com a Heroína

A brasileira Aline Leca, que trabalha como técnica de farmácia na North Broward Pharmacy tem sido uma peça fundamental na ação da polícia do condado de Broward - FL no combate ao tráfico de drogas. Somente na primeira semana de julho, ela ajudou a polícia a polícia a capturar um suspeito e indicou outros dois que queriam fortes medicamentos, através de meios fraudulentos, os quais possivelmente seriam utilizados para fazer algum tipo de entorpecente.

Em um dos casos que ela contribuiu, a polícia prendeu Noel Sinclair, o qual visitou vários médicos para obter as receitas e depois traficar Oxycodone. Para ajudar, a brasileira utilizou um programa de monitoramento, similar ao que será implantado em toda a Flórida a partir do dia 1º de setembro. Foi assim que descobriram que o acusado havia solicitado o mesmo medicamento em outra farmácia há 12 dias.

Ao efetuar a prisão, os policiais encontraram no carro de Sinclair, 348 comprimidos de Oxy e mais US$ 10 mil em dinheiro (pouco mais de R$15 mil).

Durante uma entrevista à CBS, Leca disse que estava feliz em poder ajudar a polícia a retirar de circulação um traficante de drogas. Ela ainda mostrou como funciona o banco de dados e como é possível checar o histórico dos clientes. Desta forma dá até para saber se a pessoa tentou comprar algo com receita, mesmo que a compra não tenha sido efetuada. Caso esta pessoa tenha procurado mais de uma farmácia no prazo de 30 dias, o programa acusa que há algo errado e deve haver uma atenção maior.

Ela explica que este sistema, chamado de Programa de Monitoramento de Drogas Prescritas – PDMP (sigla em inglês), tem como objetivo proporcionar que os médicos e farmacêuticos possam se comunicar e certificar a veracidade da receita. E até mesmo saber se os clientes não estão visitando vários médicos. “Esta minha atitude vai fazer a diferença, pois não quero minhas filhas crescendo em um mundo cercado por traficantes e todo tipo de drogas”, fala salientando que se puder ajudar a acabar com este tipo de tráfico, eu vou fazer de tudo.

Os investigadores esperam que com este programa, a venda ilegal de medicamentos seja reduzida.

Fonte: (Texto por Luciano Sodré)