Publicado em 27/07/2011 as 12:00am

Matogrossense é condenada por traficar pílulas para emagrecer em NH

A matogrossense Elisane Garcia, 32 anos, se declarou culpada das acusações de contrabando de mercadorias, posse de substâncias controladas e lavagem de dinheiro

Uma brasileira foi condenada na segunda-feira (25), em um Tribunal na cidade de Concord – New Hampshire, por contrabando de drogas e lavagem de dinheiro. A matogrossense Elisane Garcia, 32 anos, que residia na cidade de Hooksett, foi alvo de uma investigação realizada entre agentes do Immigrantion and Customs Enforcement – ICE e do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos.

Ela foi condenada a 10 meses de prisão e 2 anos de liberdade vigiada por importar do Brasil pílulas para comercializá-las nos Estados Unidos, sem autorização. Segundo os investigadores, Elisane tinha clientes em várias cidades de New Hampshire e também em Massachusetts.

Segundo o Procurador John P. Kavacas, foram interceptadas milhares de pílulas, as quais continham ingredientes proibidos de serem comercializados nos EUA, tais como fluoxetina e clordiazepóxido (usados na fabricação do Prozac e Librium). Estes produtos estava destinados à Elisane e vinham de fornecedores brasileiros que teriam recebido US$45 mil (cerca de R$ 70 mil).

O Internal Revenue Service confiscou cerca de US$35 mil (pouco mais de R$ 53 mil) que estavam em uma conta bancária de Elisane. A brasileira se declarou culpada por várias acusações, incluindo contrabando de mercadorias, posse de substâncias controladas e lavagem de dinheiro.

Ela está presa desde a sua captura e será deportada ao Brasil após a conclusão da sentença. Além do ICE e o Departamento de Segurança, o caso foi investigado pelo Food and Drug, escritório de Investigações Criminais, IRS, Divisão de Investigação Criminal, US Postal Inspection Service, Policia Estadual de New Hampshire e Interpool. ( Texto por Luciano Sodré)

 

Foto – arquivo

Elisane Garcia está presa desde a sua captura e será deportada ao Brasil após a conclusão da sentença

Fonte: (Texto por Luciano Sodré)