Publicado em 27/07/2011 as 12:00am

Membro do CRBE quer disputar eleições em Minas Gerais

Depois de ter ficado entre os oito membros do Conselho de Representantes de Brasileiros no Exterior ? CRBE, pela América do Norte, o pastor Walter Mourisso faz planos para disputar um cargo político em Minas Gerais.

Por Luciano Sodré

Depois de ter ficado entre os oito membros do Conselho de Representantes de Brasileiros no Exterior – CRBE, pela América do Norte, o pastor Walter Mourisso faz planos para disputar um cargo político em Minas Gerais. Ele pretende se tornar deputado federal pelo estado mineiro e com isso aumentar o elo entre os brasileiros que vivem nas terras do Tio Sam e os que estão no Brasil.

As próximas eleições acontecerão em quatro anos, mas Mourisso já está providenciando sua documentação e transferência de domicílio eleitoral para que nada fique para a última hora. Em uma entrevista, ele explica os reais motivos de sua decisão e o que espera caso consiga participar do pleito eleitoral.

 

Brazilian Times – Por que você decidiu disputar um cargo político no Brasil, se mora nos Estados Unidos?

Walter Mourisso – Eu moro há muitos anos nos Estados Unidos, mas jamais deixei a minha raiz e meu vínculo com minha terra natal. Não é pelo fato de estar longe que não sei os problemas necessidades daquele povo. Sempre vou ao Brasil e visito as comunidades e a cada visita descubro que nosso fazer muito mais se tiver um cargo que me abra as portas no cenário político do país. Outro ponto importante é que em Minas existem milhares de família cujos parentes ou amigos estão nos Estados Unidos e pretendo servir de elo entre estas pessoas.

 

BT - O fato de morar nos EUA poderá ser uma arma usada pelos seus adversários, caso venha realmente concorrer. Você está ciente disso?

WM - Sim. Eu sei que isso pode acontecer, mas tenho a certeza de que as pessoas que me conhecem e os eleitores sabem das reais intenções de minha parte. A única coisa que tenho para falar para as pessoas que por ventura venham utilizar o argumento de que eu resido nos EUA e por isso não sou um bom candidato, é que todos deveriam se preocupar em gastar o tempo criando projetos e ouvindo a comunidade.

 

BT – Terá alguma base de trabalho que regerá a sua campanha?

 

WM – Estarei pronto para ajudar em todas as áreas, mas com certeza os menos favorecidos serão a minha maior preocupação. É preciso criar projetos que contribua para o crescimento destas pessoas e coloque-as na sociedade em igualdade com as demais.

 

BT – O senhor já transferiu sua residência eleitoral e definiu por qual partido pretende concorrer?

WM – Estou resolvendo estes detalhes ainda este ano e o partido  ao qual estarei me filiando é o Partido Republicano Brasileiro – PRB, por convite de alguns amigos e até mesmo do próprio Bispo Marcelo Crivella, maior nome da legenda e que possui um vínculo muito grande com os brasileiros no exterior.

 

BT - O fato de você morar no exterior pode ser um ponto positivo no exercício de um mandato no Brasil? 

WM – Sem sombra de dúvidas. A experiência adquirida e conhecimento de como vivem as pessoas em outros países nos capacita para poder fazer mais pela nossa comunidade. Existem muitas coisas nos Estados Unidos que podem ser adotadas no Brasil e pretendo trabalhar em cima disso. Outro fator importante é que possuo contato de pessoas em outros países e isso pode ser de grande valia para o crescimento de Minas Gerais.

 

BT – Você disse que existem coisas nos EUA que podem ser utilizadas no Brasil. Pode me citar uma?

WN – Um dos pontos que irei abordar e apresentar na Câmara Federal será o sistema de venda e controle de veículos. Seria muito mais fácil e traria menos problemas se o condutor fosse dono da placa e não do veículo. Vou explicar: se você tem um carro e o vende, você vende apenas o veículo e fica com a placa. Logo se tiver alguma multa, você é o responsável por ela e terá que pagar quando for cadastrá-la novamente em outro carro. Quanto ao comprador, este terá que ter uma placa em seu nome para registrar o veículo.

 

BT - Realmente é um ponto interessante, mas você acredita que possa dar certo?

 

WM – Se deu certo nos Estados Unidos, por que não daria no Brasil? Tenho certeza de que muitos aprovarão a minha idéia.

 

BT – Existe algum email para as pessoas opinarem sobre sua candidatura ou enviar sugestões?

WM – Sim. Podem enviar para mourisso@hotmail.com,  que responderei a todos. Podem encaminhar idéias, pois estou começando a elaborar a minha proposta de trabalho, caso venha passar na convenção do partido.

Fonte: (da redação)