Publicado em 3/08/2011 as 12:00am

Idosa viaja aos EUA para reencontro com a família

Dona Agripina Macedo tem 10 filhos, 30 netos e 30 bisnetos, sendo que boa parte reside nos EUA

Por Larissa Gomes

Aconteceu nessa segunda-feira(01) na igreja Assembléia de Deus, em Everett (MA), um jantar em homenagem a dona Agripina Macedo, de 87 anos, residente em Curitiba (PR) e mãe de 16 filhos, dos quais boa parte residem nos EUA. Estiveram presentes ao evento cerca de 50 convidados, a maioria familiares, entre brasileiros e americanos.

Dona Agripina teve o primeiro filho aos 23 anos, e no total criou 16 filhos, dos quais 10 estão vivos, além de 30 netos e 30 bisnetos, sendo que 22 moram nos Estados Unidos e até pouco tempo somente 8 conheciam a bisavó.

Casada por 65 anos, Dona Agripina se tornou viúva há 3 anos, e se mudou de  Maringá (PR), para Curitiba, por decisão dos filhos, em preocupação com o abatimento da mãe, pela perda do marido.  "Achamos que mamãe iria morrer logo em seguida de papai, de tão abatida que estava. Ele faleceu em dia de festa, 31 de dezembro de 2009, virada do ano, mas ela foi forte e hoje está aqui reunida com todos nós", recorda Débora Macedo, uma das filhas.

Dona Agripina decidiu que não poderia deixar de conhecer os bisnetos. "Mamãe quis vir aos EUA para encontrar os bisnetos, não queria morrer antes disso. Um dia perguntei a ela se não tinha medo de avião, ela disse que não, pois ela nunca tinha entrado num avião antes e queria saber como era", conta Débora.

Para homenagear a vinda da bisavó, a família reuniu filhos, netos e bisnetos, que juntos organizaram um jantar para celebrar a tão esperada vinda de dona Agripina. "Parece um sonho, nunca achei que fosse possível minha mãe vir até aqui, ainda mais agora, aos 87 anos de idade", afirma Francisco Macedo, filho de Agripina.

Atualmente, dona Agripina mora com uma das filhas, Débora, que diz ser muito feliz ao lado da mãe. “É um privilégio poder cuidar dela. Todos os dias peço a Deus saúde para poder continuar dedicando todo o tempo possível à minha mãe” revela.

Uma das netas, Adriana Macedo, residente em Galliano (LA), conta que a avó está lúcida e que é uma senhora com muito senso de humor, alegre e sempre demonstrando muita fé. Segundo ela, dona Agripina sempre educou os filhos com muito amor e atenção. "Eu fui criada por ela até meus oito anos de idade, pois minha mãe tinha vindo morar nos EUA e eu fiquei no Brasil com ela", diz Adriana.

Ainda segundo a neta, mesmo com tantos filhos, dona Agripina não teve dificuldade em criar os 16 filhos, que sempre tiveram fartura na mesa. Todos moravam em uma fazenda militar no Paraná, pois o marido era capitão do Exército. "Lembro da mesa farta, todos os dias tinha sobremesa e bolo, minha mãe sempre fazia pão caseiro também", lembra Débora.

"Vovó sempre estava com as mãos ocupadas trabalhando em casa, eu era pequeno, mas lembro-me bem disso, ela nunca foi preguiçosa. Se hoje não temos tantos filhos como minha avó é porque somos preguiçosos e somente um nos basta," diz Cláudio Macedo, neto de dona Agripina.

Segundos os filhos, a mãe passa bem de saúde e antes de vir aos Estados Unidos consultou um médico, que disse que ela estava melhor de saúde que ele próprio. Dona Agripina volta ao Brasil no próximo mês quando, então, terá conhecido todos os membros da família.

Fonte: (da redação)