Publicado em 15/08/2011 as 12:00am

Movimento Educacionista /USA celebra a língua portuguesa

No sábado(13), a entidade promoveu o evento 'De Pai para Filho', oferecendo treinamento no ensino da língua portuguesa e da cultura brasileira para pais e professores

Por Larissa Gomes

Aconteceu no sábado (13), um treinamento de ensino de língua portuguesa e da cultura brasileira na Igreja Saint Andrew´s Episcopal Church, em Framingham (MA),  para professores e pais. Com o objetivo de capacitar profissionais e pais para que eles possam alfabetizar crianças, jovens e adultos que queiram aprender o idioma português, o treinamento também teve o intuito de ensinar e valorizar a cultura brasileira.

Segundo a equipe do Movimento Educacionista, a proposta do evento surgiu de problemas didáticos enfrentados no ensino da língua em casa, pelos próprios pais. "Sou brasileira, tenho três filhos americanos e já não aguentava mais escutar meu filho falando o português incorreto como 'eu posso ter água´ ou outras expressões traduzidas de forma literal do inglês para o português. Foi então que decidi começar a fazer faculdade de letras e me empenhar nesse projeto de ensinar a nossa língua de forma apropriada", diz Fernanda Abreu, coordenadora do programa Educacionista de ‘De Pai para Filho’. Fernanda conta ainda que o programa é uma boa maneira de tentar passar os costumes brasileiros para os filhos. "Precisamos preservar nossos costumes. Em minha casa, comemos arroz e feijão todos os dias", completa a educadora.

Segundo a coordenadora de alfabetização da entidade, Arlete Falkowski, a ideia do programa  veio da preocupação dos pais em manter a prática da língua entre os filhos, muitos deles nascidos no país e com pouca familiaridade com o Português. "Poder falar português, sendo americano, é como presentear o filho, pois quando adulto ele terá maiores chances e oportunidades de trabalho, sendo uma pessoa bilíngue. Além disso,  será possível estabelecer laços maiores com familiares que estão no Brasil e não falam inglês", explica Arlete Falkowski.

Arlete afirma que a grade curricular do programa acompanha o ano letivo  das escolas americanas e que os alunos têm uma aula por semana com duas horas de duração. "Além das aulas teóricas, também temos atividades recreativas como danças típicas do Brasil, teatro, cinema brasileiro e música", diz Arlete, que salienta que o participação no programa é gratuita. Segundo a educadora, o projeto é mantido por cooperativas de pais que se reúnem e doam uma quantia para custear as despesas, como os salários dos professores.

Lori Mills Curram, americana, advogada e Reverenda da Igreja Anglicana em Framingham (MA) é uma das alunas que está aprendendo a língua portuguesa."Quero aprender português para poder fazer justiça. Muitas pessoas nessa cidade dizem que os brasileiros são um problema para os americanos. Quero trabalhar para combater esse estigma, principalmente relativo à nossa Igreja. Para nós, a comunidade brasileira é  um presente de Deus para Framingham", diz Lori.

Cristiane Soares, professora de português do Movimento Educacionista/USA diz que a vontade dos pais em transmitir a cultura brasileira para os filhos, deve acontecer de forma espontânea e não como obrigação. "As crianças americanas e que também falam português, preferem conversar em inglês com os amiguinhos por ser uma forma de se socializarem com as outras crianças. A pessoa que é bilíngue não precisa se expressar nas duas línguas o tempo inteiro" pontua Cristiane. Para mais informações sobre o programa ‘Pai para Filho’ e outros projetos do Movimento Educacionista/USA, tratar com Arlete Falkowski, pelo telefone (508) 728-8275 ou pelo e-mail nucleoeducacionistausa@hotmail.com.


Fonte: (da redação)