Publicado em 24/08/2011 as 12:00am

Ativistas opinam sobre decisão de Obama

No último dia 18 de agosto, a administração do presidente Obama através do Departamento de Segurança Interna dos EUA, anunciou mudanças que poderão beneficiar centenas de milhares de indocumentados

Por Marcelo Zicker


No último dia 18 de agosto,  a administração do presidente Obama através do Departamento de Segurança Interna dos EUA, anunciou mudanças que poderão beneficiar centenas de milhares de indocumentados em processo de deportação. Infelizmente, a medida não é uma anistia e tem alcance limitado, se restringindo apenas a uma pequena parcela da comunidade imigrante. Mesmo assim, a notícia gerou otimismo e esperança em prol de uma reforma imigratória ampla e expressiva. O BT procurou ativistas comunitários para perguntar sobre a importância dessa decisão e como se deu a repercussão no meio imigrante acerca da medida.

Pablo Maia, empresário, reside em Framingham - MA  

“Eu resido há 30 anos nos EUA, e já vi diversas leis a favor dos imigrantes serem aprovadas. Essa foi uma importante medida, mas algo ainda maior está por vir. As pessoas tem que ter paciência e aguardar pois estamos no caminho certo, e temos que pensar de forma positiva. Não podem juntar as malas e retornar para o Brasil, pois essa decisão é um exemplo de que o momento político está caminhando em prol dos imigrantes”

Natalícia Tracy, diretora-executiva do Centro do Imigrante Brasileiro, situado em Allston – MA

“A partir de agora, o importante que as pessoas se informem acerca da sua situação migratória, procurando um advogado de confiança, para entender como a medida se aplica para o caso individual de cada brasileiro. Se a pressão continuar, vamos conseguir fazer o meio político ceder para uma medida ainda mais ampla, principalmente pela aproximação das eleições presidenciais”

João Arruda, presidente da CDL/USA, com sede em Lowell – MA  

“O meio empresarial está eufórico e entusiasmado, pois essa notícia já representa um alívio para nossa comunidade. Mesmo que não atinja a totalidade dos imigrantes, a notícia já traz um resultado positivo, principalmente para as empresas brasileiras, pois muitos brasileiros vão optar por continuar no país. Estou trabalhando para deixar os empresários filiados à CDL/USA, informados do que isso representa, trabalhando para deixar clientes e  brasileiros conscientes da importância da medida”

Jose Palma, Paralegal na ONG Centro-Presente, situada em Somerville- MA

“Não significa praticamente nada para a comunidade imigrante como um todo, pois não afeta a grande maioria. Outro crítica que temos a fazer é acerca da pouca informação concedida até agora, detalhando quem de fato pode se beneficiar e como os imigrantes podem agir para entender o seu caso. 300.000 imigrantes é um número muito pequeno em comparação ao tamanho da comunidade imigrante. Foi uma maneira de desviar a nossa atenção com relação a programas como o Secure Communities. Definitivamente não enxergamos isso como uma vitória, ainda temos que trabalhar em prol de algo ainda mais amplo”

Cláudia Tamsky, presidente do PT-USA, reside em Milford – MA

“ Não quero ser pessimista mas como ativista em prol dos imigrantes, sinto que tenho que fazer a crítica necessária. Está claro para mim, que se tratou de uma estratégia política motivada pela campanha de reeleição de Obama. Por outro lado, acho que pode ajudar a pressionar o congresso a agir na questão migratória pelos outros milhões de imigrantes que ainda continuam nas  sombras. Direito à carteira de motorista, autorização de trabalho, isso ainda é pouco e atinge apenas alguns. Queremos, sim, mais dignidade e respeito”

Heloísa Galvão, diretora-executiva do Grupo Mulher Brasileira, situado em Allston - MA

“Sem dúvida é uma porta aberta, mas ainda é pouco. Queremos o fim do Comunidade Seguras e um processo amplo de legalização. Achamos absolutamente necessário que a comunidade brasileira fique bem informada e entenda o que está acontecendo”

Pastor Walter Mourisso, membro/suplente do CRBE, reside em Weymouth - MA

"A decisão de Obama prova que realmente ele quer ajudar a comunidade imigrante, mas devemos lembrar que esta é apenas a batalha e que a guerra ainda não foi ganha. As mudanças anunciadas beneficiarão apenas os imigrantes em processo de deportação e mesmo assim não lhes darão direito ao Green Card. Isso sem falar que existem milhões de imigrantes que não estão em processo de deportação, mas estão vivendo ilegalmente no país. Devemos continuar a luta para que todos tenham direito se legalizar nos Estados Unidos.Não podemos acalmar nossos manifestos apenas por este ato do presidente. O que esperamos é uma reforma que abra caminho de legalização para todos"

Fonte: (da redação)