Publicado em 24/08/2011 as 12:00am

Itamaraty e Caixa patrocinam Festival da Independência

Está quase tudo pronto para o 16º Festival a Independência do Brasil em Boston, que abre no dia 7 de setembro com o hasteamento da bandeira brasileira na Prefeitura de Boston e termina no domingo, dia 11

Está quase tudo pronto para o 16º Festival a Independência do Brasil em Boston, que abre no dia 7 de setembro com o hasteamento da bandeira brasileira na Prefeitura de Boston e termina no domingo, dia 11, com o Festival ao Ar Livre no Herter Park. “Estamos realmente felizes com as novidades deste ano”, disse Célia Maciel da Comissão organizadora, anunciando que, além do grupo de cordel, um grupo folclórico do Panamá vai desfilar junto com o Afro Brasil na parada de abertura no dia 11. “Tem tudo a ver com a missão do Festival que é integrar culturas. Queremos que outros povos conheçam nossa cultura, nossa história e nossa língua e queremos também saber de outros grupos”, enfatizou Célia.

A parte musical também será reforçada com a presença de Dendê e sua Banda.  Ex-integrante do Timbalada, percussionista, cantor, compositor, maestro, professor e multi-instrumentista, Dendê tem se destacado no cenário musical de Boston, embora more em  Nova York e Salvador, As outras atrações musicais são a cantora Sonia Azul e a capoeira do Mestre Caveira. Ainda como parte do programa musical do Festival, e pelo quarto ano consecutivo, Marcus Santos e Teresa Inês se apresentam às 19 horas do dia 7 de setembro na Biblioteca Pública de Framingham.

No dia 8, quinta-feira, será transmitido um filme brasileiro de graça no Auditório Seton do Hospital Santa Elizabeth. “ Tivemos de mudar o local, que tradicionalmente é o Cine Regent em Arlington por causa de restrições orçamentárias”, disse Heloisa Maria Galvão, diretora-executiva do Grupo Mulher Brasileira. “É uma pena porque a equipe do Cinema Regent adora nosso Festival e nós gostamos deles também, mas o St. Elizabeth não nos cobra e fica no coração da nossa comunidade”.

O filme deste ano será “Cinema, Aspirinas e Urubus” (2005). de Marcelo Gomes, indicado para concorrer a uma indicação de Melhor Filme em Língua Estrangeira no Oscar 2007. É a história de Johann (Peter Ketnath), um alemão que, em 1942, para fugir da Segunda Guerra Mundial, vai trabalhar como vendedor de aspirinas em cidades do interior do Nordeste. O filme foi rodado nas cidades de Patos, Picote, Pocinhos e Cabaceiras, no sertão da Paraíba.

            Apesar da dificuldade para obter recursos financeiros para custear o Festival, Heloisa disse estar muito contente e orgulhosa que pela primeira vez em 16 anos de Festival os dois maiores pagrocinadores da festa são “genuinamente brasileiros”: O Itamaraty, atendendo pedido encaminhado pelo Consulado do Brasil em Boston, e a Caixa Ecônomica Federal. “Não há dúvida que é um reconhecimento do trabalho sério e importante que fazemos”, analisou Heloisa.

Os últimos preparativos para o Festival estão em andamento, com impressão dos pôsteres de divulgação e do livro de anúncios. Ainda dá tempo de alugar uma mesa de informações e de artesanato, que custa $30.  O programa completo está no site www.verdeamarelo.org/festival e informações são com Junior Catão no telefone 617-787-0557 ramal 15 ou pelo email festival@verdeamarelo.org.

Fonte: (GMB)