Publicado em 29/08/2011 as 12:00am

15th Brazilian Film Festival/Miami celebra o cinema nacional

Excelente seleção de filmes brasileiros e presença de celebridades fazem Festival lotar teatro de Miami Beach

Por Gilvan de Sergipe

Na noite de sexta-feira(19), “sold out”. Noite de sábado, 27, “sold out”. A placa anexada à bilheteria do Colony Theatre, de Miami Beach, tanto na noite de abertura, quanto na noite de encerramento do 15th Brazilian Film Festival of Miami, comprovou que o cinema brasileiro nos EUA já conquistou a admiração do público americano, brasileiro e hispânico que tem lotado os teatros onde a Inffinito Foundation promove a melhor safra de audiovisuais brasileiros do momento.

Este ano, foram trazidos 40 filmes para exibição no Colony Theatre, da Lincoln Road, e no Miami Beach Cinematheque, da Washington Avenue. Os vencedores do ano passado, nas categorias longa e curta-metragem, “Salve Geral”, de Sérgio Rezende, e “O Troco”, de André Rolim, foram exibidos na noite de abertura do Festival. Nove outros filmes tiveram exibições no Miami Beach Cinematheque, dentre eles clássicos do cinema nacional dirigidos por Arnaldo Jabor – o homenageado deste ano -, como “Eu Sei Que Vou Te Amar”, “Eu Te Amo”,  “Tudo Bem” e “Toda Nudez Será Castigada”, que lhe rendeu o “Urso de Prata” no Festival de Berlim, em 1973. O mais novo filme de Jabor, “Suprema Felicidade”, produzido em 2010, foi exibido no último dia do Festival, no Colony Theatre. Todos os outros 14 curtas e 14 longas-metragens apresentados ao público no teatro da Lincoln Road, competiram em diversas categorias pela estatueta “Lente de Cristal”.

Durante todos os nove dias do Festival, diversos profissionais da indústria audiviosual estiveram presentes em Miami Beach, desde produtores e cineastas, até roteiristas e atores. Ney Latorraca, Paula Barreto, Cléo Pires, Maria Paula, Toniko Melo, Bruno Mazzeo, Guilhermina Guinle e Rik Nogueira, entre outras celebridades, vieram do Brasil para promoverem seus filmes e se mostraram encantados com o carinho do público. A atriz Cléo Pires e o diretor Toniko Melo voaram a Miami no sábado, 20, para promoverem “Qualquer Gato Vira-Lata” e “VIPs”, respectivamente. A atriz Maria Paula representou seus colegas do filme “De Pernas Pro Ar”, na segunda-feira. O ator e roteirista Bruno Mazzeo esteve presente durante as exibições de suas comédias “Muita Calma Nessa Hora” e “Cilada.Com”, na terça e sexta-feira.

Entre os curadores responsáveis pela seleção dos filmes que competiram esse ano estavam Fernando Meirelles (“Cidade de Deus”), Paula Barreto (“Lula, o Filho do Brasil”) e Bianca de Felippes (“Carlota Joaquina, Princesa do Brasil”). O júri oficial foi formado por Michael Dagnery, vice-presidente de Conteúdo e Desenvolvimento da MTV, Patricia Arias, diretora artística dos filmes produzidos pela Latin American Chamber of Commerce of Miami, Barbara Weitz, professora de Cinema na Florida International University, Lisa Gottlieb, cineasta e professora na University of Miami, pelo produtor cultural Andrew Nathanson, e pela jornalista brasileira Maria Arlete Gonçalves, que foi a presidente do Júri.

No sábado, uma platéia ávida pela cerimônia de premiações lotou com uma hora de antecedência os 455 assentos do Colony Theatre. Assistir também às homenagens ao grande cineasta Arnaldo Jabor fez do público presente ao último dia do Festival uma platéia ilustre. As diretoras e fundadoras do evento abriram a cerimônia agradecendo todo o suporte dos patrocinadores, o apoio da mídia e o sucesso originado pelo público. Entre os filmes vencedores das estatuetas Lente de Cristal em diversas categorias estavam vários celebrados pelo público em votação popular durante a semana inteira. “VIPs”, de Toniko Melo, levou a estatueta de Melhor Filme e ainda conseguiu puxar para o protagonista Wagner Moura a de Melhor Ator. Olivia Torres recebeu a Lente de Cristal na categoria Melhor Atriz, por sua atuação em “Desenrola”. O longa-metragem “180” conseguiu bater em duas categorias: Melhor Roteiro e Melhor Direção. Melhor Direção nos curtas ficou para “Cachoeira”, de Sérgio José de Andrade.  “De Pernas Pro Ar” foi eleito pelo Júri Popular o Melhor Filme em longa-metragem. O mesmo Júri deu ao curta “O Bolo” a estatueta de Melhor Filme.

As homenagens ao cineasta Arnaldo Jabor, que recebeu o Lifetime Achievement Award por seu trabalho de destaque no cinema nacional brasileiro, foram entremeadas por elogios de todas as partes: Adriana Dutra apresentou e enalteceu seu profissionalismo com seu cinema crítico e de vanguarda, Cacá Diegues e Fernanda Montenegro fizeram elogios a Jabor através de vídeo exibido no telão do palco, a atriz Darlene Glórida, de “Toda Nudez Será Castigada”, agradeceu ao cineasta, que recebeu da platéia de pé demorados aplausos. Ao final da cerimônia de premiações, seu mais novo filme, “A Suprema Felicidade” foi exibido.

Ao longo de todos esses 15 anos, a seriedade e o profissionalismo das organizadoras do Festival de Cinema de Miami fizeram com que o evento recebesse o suporte de diversas instituições de peso e renomadas empresas. Já sendo parte do calendário cultural de Miami Beach, o evento brasileiro recebeu esse ano a apoio do Ministério da Cultura do Brasil, da Petrobras, do Consulado Geral do Brasil em Miami, do BNDES, da Ancine, da American Airlines, da Prefeitura de Miami Beach e da Kodak, entre outras. A excelente organização do evento e a ótima seleção do material a ser exibido, tem feito do Brazilian Film Festival of Miami um marco na divulgação do cinema brasileiro no exterior. A Inffinito Foundation, fundada e dirigida por três jovens damas brasileiras, criou um circuito de festivais que se espalhou de Miami a nova York, de Buenos Aires a Milão, de Madri a Vancouver, de Canudos a Roma. Provando que não somente o cinema brasileiro é profissional, competente, forte e atraente. Mas também o talento da mulher brasileira.

Fonte: (da redação)