Publicado em 2/09/2011 as 12:00am

Fugitivo brasileiro é caçado como animal nas florestas americanas

A US Marshal, policiais e caçadores de recompensas estão atrás de David Brito

Uma caçada humana digna dos grandes filmes policiais de Hollywood foi montada por agentes federais dos Estados Unidos com o objetivo de encontrar o policial David Brito, lotado na força tarefa de Boynton Beach, na Flórida. Ele estava cumprindo prisão domiciliar, com tornozeleira eletrônica, depois que foi acusado de tráfico de entorpecentes, o que pode lhe render prisão perpétua, caso venha ser condenado.

David trabalhava, há cinco anos, em Boynton e em julho deste ano foi preso sob acusação de tráfico. Com ele foram encontrados 500 gramas de metafetamina. Após a prisão, ele foi afastado do quadro policial, até o término do julgamento. O brasileiro foi colocado em prisão domiciliar na casa da mãe, na cidade de Coral Spring.

Mas na semana passada ele quebrou a tornozeleira e fugiu antes que a polícia chegasse ao local. Várias buscas foram realizadas, mas sem sucesso e na segunda-feira, os agentes federais chegaram à conclusão de que o brasileiro esteja escondido nas florestas do Tennessee, Carolina do Norte ou Georgia. Isso porque ele tem agilidade adquirida durante o tempo que serviu a US Marine. A tese é defendida pelo, também ex-fuzileiro naval, David “Gunny” Gambale, que atualmente trabalha como caçador de recompensas. “Ele sabe como se esconder e sobreviver neste território”, explicou.

Outra vantagem do brasileiro nesta fuga é que ele adquiriu conhecimentos sobre técnicas utilizadas para rastrear fugitivos e pode estar usando isso a seu favor. “David sabe qual será o passo dado pelos seus perseguidores e isso dificulta a sua captura”, acrescentou Gunny.

Uma das medidas adotadas pela polícia para pressionar o brasileiro a se entregar foi o bloqueio de seu pagamento. “Ele recebe $52,979.00 por ano e agora para ter acesso ao seu vencimento, deverá vir pessoalmente ao departamento”, disse o porta-voz do departamento policial, Stephanie Slater.

Mas o US Marshal, que lidera a caçada, trabalha com duas possibilidades. A primeira é a de David ter retornado ao Brasil, seu país de origem e a outra é que ele possa estar mesmo escondido nas florestas. Quando foi colocado em prisão domiciliar, o passaporte dele foi confiscado, mas alguns investigadores defendem a tese de que o brasileiro possa ter conseguido chegar em terras brasileiras por terra, devido a falta de fiscalização nas fronteiras latinas. “Neste, ele pode estar em qualquer lugar”, disse o porta-voz do US Marshals, Barry Golden.

Nos últimos dias, as autoridades receberam cerca de 10 dicas sobre o paradeiro de David e estão investigando todas. “Estamos rastreando todas as ligações possíveis”, disse Golden.

Fonte: (da redação)