Publicado em 8/09/2011 as 12:00am

Brasileiros explicam porque custa menos viver nos EUA

Além de melhores oportunidades de trabalho, o objetivo de muitos brasileiros ao imigrarem para os EUA, é ter uma melhor qualidade de vida, facilidade em adquirir bens de consumo, segurança e tudo que se relaciona ao famoso 'sonho americano'

Por Larissa Gomes

 

Além de melhores oportunidades de trabalho, o objetivo de muitos brasileiros ao imigrarem para os EUA, é ter uma melhor qualidade de vida, facilidade em adquirir bens de consumo, segurança e tudo que se relaciona ao famoso ‘sonho americano’. Na opinião de muitos imigrantes, o custo de vida é um dos detalhes mais discrepantes em comparação ao Brasil, e um dos fatores mais importantes para a decisão de não voltar para o país de origem.  

 

 

Ana Paula de Souza, residente há sete anos em Somerville (MA), natural de Conselheiro Pena (MG).

"Não comparo os preços daqui com os do Brasil, pois já nem tenho referência. Mas sei que aqui, praticamente tudo, é mais barato. Não vejo dificuldade em comprar bens de consumo, talvez por eu ganhar meu salário por semana, sempre tenho um dinheirinho no bolso. Em relação à saúde, aqui é muito melhor, no Brasil a gente espera horas na fila para ser atendido, aqui somos bem tratados, nos ligam depois da consulta para saber se estamos nos sentindo melhor, tem um acompanhamento médico. Por tudo isso, não voltaria para o Brasil, além disso minha minha família já reside aqui”

 

Adriana Martins, residente há oito anos em Somerville (MA), natural de Itaobim (MG).

 

"Normalmente não faço compras, deixo essa parte para a minha ‘roomate’, mas tenho consciência da diferença de custo de vida entre Brasil e EUA, principalmente porque não preciso economizar para comprar o que quero, tenho acesso a tudo. Além de não ter tanto imposto, o dólar é uma moeda forte e as empresas e o  governo incentivam o consumo em larga escala. Além disso, eu nunca precisei de empréstimos, mas se precisasse sei que teria facilmente. Não voltaria para o Brasil, gosto daqui, tenho um bom carro, moro em ótimas condições, só sinto falta da família, mas a gente supera"

 

Rogério Martins, residente em Everett (MA) e natural de Belo Horizonte (MG).

"Aqui tudo é mais barato principalmente carros e eletrônicos, mas o que considero ainda mais barato aqui é o aluguel de casa, porque quando alugamos uma residência  ela vem pronta, com quase tudo dentro, com geladeira, fogão, microondas, e outras utilidades. No Brasil, ganhamos pouco e trabalhamos muito, é uma vida mais sofrida. Eu prefiro morar aqui, acho que vale a pena porque tenho tudo que preciso e posso comprar tudo que quero, além da família que também mora comigo. A vida é mais barata e sempre sobra mais dinheiro no bolso”

 

Marinalva Souza, residente há cinco anos em Everett (MA), natural de Belo Horizonte (MG).

"O que acho barato aqui nos EUA são as roupas, alimentos, eletrônicos e carros, mas o que dificulta nossa vida é o aluguel, que é muito caro. Temos mais facilidade em comprar bens de consumo, porque aqui o governo incentiva as pessoas a consumirem, é o país do consumismo, tudo barato, isso faz com que as pessoas queiram e possam comprar mais. Mesmo os imigrantes, tem um bom poder de compra, e incentivam a economia quando consomem"

 

Rogério Silva, residente há sete anos em Everett (MA) e natural de Pontes e Lacerda (MT).

"Não sei o motivo de tudo ser mais barato, até a gasolina é mais barata do que no Brasil, enquanto pagamos U$ 3,60 em média pelo galão, no Brasil pagamos quase R$ 3,00 por um litro. Não entendo essa diferença, porque somos auto-suficientes em petróleo, mas seguimos um preço internacional e o preço final contém muitos impostos. O que acho mais caro nos EUA é o aluguel, mas vale muito a pena morar aqui, gosto do clima é bom, não é aquele calor insuportável que temos no Brasil, e podemos comprar o que quisermos"

 

Fonte: (da redação)