Publicado em 8/09/2011 as 12:00am

Representante dos Chefes de Polícia de MA revela apoio aos imigrantes

O Presidente da Associação dos Chefes de Polícia de Massachusetts, e representante da cidade de Northborough, Mark Leahy, recentemente revelou o seu descontentamento com a iniciativa, e concedeu uma entrevista exclusiva ao BT

Mesmo com as novas polêmicas envolvendo o programa Secure Communities, principalmente com um recente caso de homicídio ocorrido em Milford – MA,  grande parte dos municípios e cidades de Massachusetts já afirmaram a sua oposição ao programa. O Presidente da Associação dos Chefes de Polícia de Massachusetts, e representante da cidade de Northborough, Mark Leahy, recentemente revelou o seu descontentamento com a iniciativa, e concedeu uma entrevista exclusiva ao BT, revelando que o seu apoio à causa imigrante, vai muito além do projeto.

Em uma conferência realizada em Northborough, no mês passado, o chefe de polícia foi questionado acerca da sua opinião sobre o Secure Communities, e surpreendeu os presentes, afirmando sua oposição à medida anti-imigrante. Segundo Mark, ‘programa não deveria ser aplicado na cidade, pois em vez de ajudar, iria prejudicar o trabalho da polícia’. Durante a sua explicação, vários presentes não esconderam a sua discordância com o chefe de polícia, balançando a cabeça em sinal de revolta. “ Isso (o programa), não ajuda o trabalho da polícia. Se as pessoas se recusam a falar conosco e denunciar crimes, isso só prejudica qualquer tipo de investigação” afirmou ele, que teme que se perca o laço de confiança entre as autoridades policiais e a comunidade.

Ele ainda causou polêmica ao afirmar que as autoridades federais estão ‘fazendo uma grande confusão’ na tentativa de aplicar a medida. “Continuamos a ter pessoas presas e eventualmente deportadas, que não são criminosas” completou. O residente, que propôs a discussão do tema, discordou do chefe de polícia, afirmando que ‘a prioridade da cidade seria zelar pela segurança de seus residentes, ao invés de se preocuparem com os indocumentados’. “Nós somos todos imigrantes” afirmou frisou Mark.

Sob essa perspectiva, o policial se coloca no apoio aos imigrantes, e afirma que o suporte da medida tem raízes na ignorância e no medo dos americanos com relação à instabilidade econômica. “Muitas pessoas querem procurar um grupo para culpar ( pela crise), tudo isso é baseado em preconceito, e acho que o Secure Communities pode incentivar as pessoas a terem esse tipo de julgamento baseado na etnia” relata ele, em entrevista exclusiva ao BT. “ Eu já tive a oportunidade de me relacionar com brasileiros, inclusive meu genro é brasileiro e muito antes de conhecê-lo eu já era consciente do quão amigável, trabalhador e importante é a comunidade brasileira e os demais imigrantes para o nosso país” afirma ele que cita um episódio específico para exemplificar os danos  que um projeto como o Secure Communities podem causar. “ Há  algum tempo, eu estava no meu dia de folga, passeando sem a utilização da farda, e conheci um grupo de brasileiros que se divertia em um bar da nossa cidade. Após alguns horas de conversa, resolvi revelar a minha profissão, um policial, e realmente pude sentir um olhar de medo e receio nos olhos daquelas pessoas. Exatamente o que não queremos. Nós queremos que as pessoas confiem na polícia, que enxerguem o nosso departamento como um órgão que trabalha em prol da paz e da harmonia da comunidade em que vivem. Essa experiência me marcou para sempre, e me fez repensar a maneira como enxergo o problema da Imigração” afirma ele.

A partir do episódio, Mark teve a oportunidade de conhecer outros brasileiros, e se sensibilizar acerca da suas duras trajetórias e histórias de vida. “ Quando escuto a história de percalços e dificuldades que considero até mesmo desumanas, isso me comove e me faz entender porque essas pessoas escolheram vir para os EUA para usufruírem de uma vida melhor, repleta de novas oportunidades e desafios” afirma ele. “ Não entendo essa caça incessante aos indocumentados. Quando os irlandeses chegaram ao país sem documentos décadas atrás, ninguém ficou bravo ou revoltado com aquilo. Agora não, virou problema. Temos que administrar esse país pensando nas pessoas que aqui estão. E a verdade é irrefutável : fazemos parte de uma nação de imigrantes” afirma o chefe de polícia.  

Segundo requisição do ICE e do governo Obama, o Secure Communities deve ser aplicado em todo o país até 2013. “Os diretores do Immigration Customs Enforcement - ICE tem focado na prisão de criminosos perigosos ao país e este programa serve para gerar segurança às nossas comunidades”, explicou o presidente, revelando apoio ao programa no mês passado. O presidente reconheceu o empenho dos legisladores hispânicos em aprovar uma reforma, mas acrescentou que nada será feito enquanto não houver uma união maior entre as divisões políticas. “Enquanto isso, precisamos garantir a segurança para as nossas comunidades, pois entre os imigrantes trabalhadores existem aqueles que só querem fazer o mal”.

Fonte: (da redação)