Publicado em 9/09/2011 as 12:00am

Brasileiros revelam como é ter o Green Card

Viver legalmente nos EUA é o sonho de muitos imigrantes e o documento permite a permanência no país em acordo com a lei

Por Larissa Gomes


Muitos brasileiros sonham com o famoso Green Card, documento que permite que o imigrante se torne legal no país, tendo permissão para trabalhar, estudar, e residir nos EUA com os mesmos direitos e deveres de um cidadão americano. Porém, os motivos que fazem as pessoas almejarem tanto o ‘cartão verde’ são diversos.

Sidnei de Azevedo, residente há seis anos em Everett (MA), natural de Criciúma (SC), diz que o Green Card facilitaria a vida dele. "Eu ficaria aqui, iria ao Brasil passear e visitar minha família. Poderia aplicar para trabalhos melhores, sendo documentado votaria para as eleições americanas e tentaria me tornar um cidadão americano para poder trazer meus filhos do Brasil e dar a eles uma oportunidade de vida melhor do que eles têm atualmente", diz Sidnei.

"Há seis anos tenho Green Card e fiquei cinco anos em situação ilegal no país. Minha vida hoje é mais tranquila, tenho o direito de ir e vir a qualquer hora para qualquer lugar. É mais fácil eu ir visitar minha família no Brasil, dirijo sem medo de ser parada por policiais, não tenho medo de imigração. Tenho outra vida, nem se compara com a época em que vivia indocumentada nos EUA", diz Jaqueline Coelho, residente há 11 anos em Malden (MA), natural de Ipatinga (MG).

Direito de ir e vir, ter direitos eleitorais, visitar a família no Brasil e não ter problemas com a Imigração são as principais razões que os brasileiros residentes em Massachusetts relatam. Édson Felismino, residente há 11 anos em Boxford (MA), natural de Ipatinga (MG), é cidadão americano há cinco anos e diz que isso o tranquiliza. "Hoje estou do outro lado da moeda, sou policial e consegui minha cidadania pois entrei para as Forças Armadas, mas no tempo em que eu era ilegal passei por muitas situações desagradáveis, hoje ando tranquilamente nas ruas. Meu dever atualmente é prender criminosos e não posso deixar de lidar com brasileiros pelo fato de serem meus conterrâneos, mas eu alivio um pouco, pois já estive nessa situação", diz o policial Édson que hoje se preocupa em dar exemplo e por isso cumpre com seus deveres e obrigações, pagando os impostos.

"Há sete anos tenho o Green Card e minha vida mudou da água para o vinho. Tenho mais segurança em estar num país que não é meu, poder adotá-lo e viver tranquilamente nele é muito importante para se ter uma qualidade de vida, paz e sossego, além de eu poder visitar minha família no Brasil", diz Percílio Euqueros, residente há 17 anos em Lowell (MA), natural de Goiânia (GO).

Breno Lopes, residente há seis anos em Revere (MA), natural de Belo Horizonte (MG), está prestes a concretizar um sonho. "Sou casado com uma canadense e ela tem nacionalidade americana também, já apliquei para o Green Card e ano que vem estarei com o documento em minhas mãos. Já posso respirar tranquilo e sorrir finalmente, mas enquanto isso não acontece, ando sem paz, com medo de dirigir nas ruas, mesmo meu status imigratório sendo mais seguro que antes, ser legal é poder colocar a cabeça no travesseiro e dormir em paz, acordar no dia seguinte e saber que nada pode acontecer de ruim. Sou pastor e sonho em pregar a palavra em outros países", diz Breno Lopes.

Fonte: (da redação)