Publicado em 21/09/2011 as 12:00am

'Conserto' do SC termina em fracasso

Um grupo selecionado pelo Departamento de Segurança Interna para realizar um relatório de recomendações sobre o Secure Communities, perdeu 5 membros que afirmaram que o programa 'é completamente falho'

Um grupo responsável por realizar um relatório com sugestões para o Secure Communities, revelou na semana passada, uma série de recomendações para reestruturar o programa, em processo que terminou com cinco membros do conselho se demitindo por desavenças nos tópicos do relatório.

O grupo enviou o relatório para o Departamento de Segurança Interna ( DHS, sigla em inglês), para ‘reintroduzir o programa em áreas onde a medida encontra resistência e pouca aprovação, com um trabalho de instrução e treinamento voltado para garantir que apenas imigrantes criminosos sejam atingidos pelo programa. Dos 19 membros que trabalhavam no relatório, 5 não concordaram com os acordos finais. “ Mesmo com as recomendações, ainda estaremos atingindo aqueles imigrantes com infrações leves de trânsito e não-criminosos. Os imigrantes vão continuar temendo as autoridades policiais, e muitos crimes não vão ser reportados, com os criminosos continuando livres para atuar novamente” afirmou Arturo Venegas, chefe de polícia aposentado que fazia parte do grupo, e que se demitiu pouco antes da divulgação do relatório.

O principal ponto apontado pelo relatório foi a falta de informação fornecida pelo DHS para as localidades onde o programa foi introduzido. Estatísticas mostraram que quase metade dos imigrantes afetados pela iniciativa, não tinham antecedentes criminais, e tinha cometido infrações não-violentas.

Entre os estados que se opuseram à medida, estão Illinois, New York e Massachusetts. Outros quatro membros do conselho  também se retiraram do projeto ao concluir que nenhuma das mudanças propostas iriam causar a resolução do principal problema, que é a deportação de imigrantes inocentes. “ Nós entramos no grupo com a sincera vontade de participar dessa mudança. Infelizmente, durante as discussões, ficou claro para nós que as perspectivas e recomendações aprovadas não estariam em acordo com o que concordamos fazer parte” afirmou o grupo que se retirou, em comunicado à imprensa.

“Esse grupo não foi nada, mas uma colossal falha pelo programa, que defende um programa que é indefensável” afirmou  Sarahi Uribe, da National Day Laborer's Organizing Network. “ Existe apenas uma recomendação a ser feita : Cancele o Secure Communities agora!” completou a ativista.

Fonte: (da redação)