Publicado em 30/09/2011 as 12:00am

Brasileiros pedem apoio a Deputado em New Jersey

Wilma de Andrade, presidente da Brazilian International Association of Autism (BIA), pediu ajuda a Alberto Coutinho na manutenção da entidade no Estado Jardim

Na segunda-feira (26), a ativista comunitária Wilma de Andrade, presidente

da Brazilian International Association of Autism (BIA), o jornalista

Leonardo Ferreira e sua esposa, a artista plástica Mazi Ferreira,

encontraram-se com o Deputado Estadual Alberto Coutinho em seu escritório

regional, na 73-75 Ferry St., no bairro do Ironbound, em Newark – NJ. O

objetivo do encontro foi pedir o apoio de Coutinho à entidade, fundada em

junho desse ano, com sede na mesma cidade. O fotógrafo freelance Geraldo

Corredor da Paz, presidente da Assembléia Geral da Brazilian American United

Association (BAUA) apoiou a iniciativa e  registrou o encontro, que também

contou com o apoio da comunidade de língua portuguesa no Estado Jardim.

 

Leonardo e Mazi, cuja filha possui autismo, pediram ao Deputado a criação de

um projeto de lei que vise ampliar a cobertura do Medicare aos médicos que

utilizam métodos não alopáticos (medicina tradicional) no tratamento da

síndrome.  Coutinho escutou as reivindicações dos ativistas e prometeu à

Wilma apoio à manutenção da BIA.

 

A BIA, uma organização sem fins lucrativos de apoio aos autistas e suas

famílias, convida a todos para participarem em 12 de outubro, Dia das

Crianças, das 7:00 pm às 11:00 pm, do jantar beneficente no Brasília Grill,

na 99 Monroe St., no bairro do Ironbound, em Newark (NJ). A festa terá

música ao vivo com os artistas locais Valdo e Jordan, além de sorteios. A

renda arrecadada será destinada ao pagamento das despesas da associação,

assim como a instalação de uma sala de música e  informática aos seus

associados.

 

Os ingressos custam US$ 15, sendo que crianças até 10 anos de idade não

pagam. Informações e reservas de convites: (201) 240-1176 ou (973) 466-3858,

falar com Wilma.

 

Autismo é uma desordem na qual uma criança jovem não pode desenvolver

relações sociais normais, se comporta de modo compulsivo e ritualista. O

autismo é uma patologia diferente do retardo mental ou da lesão cerebral,

embora algumas crianças com autismo também tenham essas doenças. Sinais de

autismo normalmente aparecem no primeiro ano de vida e sempre antes dos três

anos de idade. A desordem é 2 a 4 vezes mais comum em meninos do que em

meninas.

 

A causa do autismo não é conhecida. Estudos de gêmeos idênticos indicam que

a desordem pode ser, em parte, genética, porque tende a acontecer em ambos

os gêmeos se acontecer em um. Embora a maioria dos casos não tenha nenhuma

causa óbvia, alguns podem estar relacionados a uma infecção viral (por

exemplo, rubéola congênita ou doença de inclusão Citomegálica),

Fenilcetonúria (uma deficiência herdada de enzima), ou a síndrome do X

frágil (uma dosagem cromossômica).

 

Uma criança autista prefere estar só, não forma relações pessoais íntimas,

não abraça, evita contato de olho, resiste às mudanças, é excessivamente

presa a objetos familiares e repete continuamente certos atos e rituais. A

criança pode começar a falar depois de outras crianças da mesma idade, pode

usar o idioma de um modo estranho, ou pode não conseguir - por não poder ou

não querer - falar nada. Quando falamos com a criança, ela frequentemente

tem dificuldade em entender o que foi dito. Ela pode repetir as palavras que

são ditas a ela (ecolalia) e inverter o uso normal de pronomes,

principalmente usando o tu em vez de eu ou mim ao se referir a si própria.

 

Mais informações sobre a síndrome do Austism podem ser obtidas através das

páginas eletrônicas da Autism Society: 

www.autism-society.org  ou National Autism Association:

www.nationalautismassociation.org  ou Autism New Jersey:

www.autismnj.org

 

Fonte: (Geraldo Carlos)