Publicado em 30/09/2011 as 12:00am

Em Minas, suspeito de assassinato alega inocência

Paulo Sérgio Vieira, 31 anos, afirma que não existia nenhum problema entre o casal

No dia 21, em Brighton – Massachusetts, a mineira natural de Sobrália, Ednalva Ferreira da Silva, 30 anos, foi encontrada morta por alguns colegas de trabalho. As investigações apontaram que ela foi assassinada com pancadas na cabeça. O laudo mostrou que corpo estava em estado avançado de putrefação e que a brasileira foi assassinada no início do mês. O principal suspeito é o marido, Paulo Sérgio Vieira, 31 anos, que se mudou para o Brasil.

Ela trabalhava como faxineira e estava casada com o suspeito havia três anos. Paulo está vivendo em Sobrália, sua terra natal. Revoltado, o pai da vítima, o taxista Jandir Ferreira, 66 anos, disse que espera que a Justiça brasileira ajude os investigadores dos Estados Unidos, caso o culpado seja mesmo o marido de sua filha.

Jandir conta que, no dia 6, Paulo chegou em sua casa dizendo que a filha decidiu retornar ao Brasil somente no ano que vem e que ele veio na frente para esperar. “Estava rindo, comeu e bebeu em nossa casa e ainda nos mostrou um álbum das fotos do casamento”, lembra.

O pai conta que mesmo com o genro acalmando os corações, alguma coisa dizia que algo estava errado. A família não tinha notícias da filha desde o início de setembro e não sabiam que o casal estava com planos de retornar ao Brasil, tampouco que o marido viria na frente, deixando a esposa para trás.

Outra coisa que deixa dúvidas na histórica contada por Paulo, é que familiares que vivem nos Estados Unidos, informou a Jandir que o suspeito pegou US$ 3 mil que estavam em um cofre no apartamento deles e comprou uma passagem para o Brasil. “Ninguém sabia desta viagem e normalmente quando um brasileiro retorna para o nosso país, eles fazem festa ou reúnem amigos para se despedirem”, fala explicando que foi isso que as pessoas lhe contaram.

Jandir afirma que o genro chegou com o cabelo cortado e trouxe tudo que lhe pertencia. “Tenho certeza de que foi um crime premeditado, pois ele deixou para trás somente o que mais nos importavam”, fala lembrando que a filha caçula juntou US10,500.00 para pagar a sua ida aos Estados Unidos. “Ela sonhava conseguir dinheiro para custear uma faculdade quando voltasse ao Brasil”, conclui.

Em sua defesa, Paulo Sérgio, garante que no dia 05, a esposa tinha saído de casa para trabalhar. Segundo ele, o retorno ao Brasil se deu em razão de que estava sentindo muitas dores nas costas e nos rins e isso o impossibilitava de trabalhar. “Por isso resolvemos que um ficaria para juntar o dinheiro, pois eu estava onerando gastos demais”, fala.

O acusado afirma que não existia nenhum problema entre o casal e confirmou que o acordo entre eles era que vir primeiro e a esperar. “Queria voltar para esclarecer o fato, mas não posso pois não tenho documentos”, fala.

O caso é mais um envolvendo brasileiros que cometem crime nos Estados Unidos e foge para o Brasil, onde ficam respaldado na Constituição que proíbe a extradição de seus cidadãos para serem julgados em outro país.

Fonte: (Luciano Sodré)