Publicado em 3/10/2011 as 12:00am

Obama terá trabalho em votos latinos, dizem analistas

Embora a campanha de reeleição do presidente americano, Barack Obama, esteja focada no público latino, analistas afirmam que a tarefa de conquistar os votos deste público poderá ser mais trabalhosa, devido a uma série de promessas não cumpridas.

Embora a campanha de reeleição do presidente americano, Barack Obama, esteja focada no público latino, analistas afirmam que a tarefa de conquistar os votos deste público poderá ser mais trabalhosa, devido a uma série de promessas não cumpridas.

Em busca de um segundo mandato nas eleições de 2012, Obama já começou a fazer campanha em alguns canais de televisão e rádios dos EUA voltados para o público latino. Com a frase 'temos um presidente pronto para lutar', Obama tenta obter o apoio dos hispânicos - grupo com maior crescimento demográfico do país, representando 8,7% dos eleitores dos EUA. No entanto, especialistas preveem dificuldades nesta meta. 'Há uma sensação de decepção entre os latinos, pois questões que eram apontadas como prioritárias não foram tratadas assim, em um contexto em que a situação econômica se transformou no centro das políticas (de Obama)', afirmou à BBC Erwin de León, pesquisador do Urban Institute, de Washington.

Reforma na imigração
Uma das promessas não cumpridas que podem prejudicar a campanha de Obama junto aos hispânicos é a reforma nas leis de imigração do país. Em uma entrevista antes da eleição de 2008, o então candidato Barack Obama prometeu que 'no primeiro ano (de mandato) teremos uma lei de imigração que defendo fortemente'.

Mas a reforma nas leis de imigração continua sendo um desejo e uma exigência dos grupos latinos, e os Estados Unidos continuam com 12 milhões de pessoas em situação ilegal. Em uma mesa redonda para responder perguntas de latinos na Casa Branca, realizaqda na última quarta-feira, Obama apontou como responsáveis por este quadro a oposição republicana, que, segundo ele, não tem um liderança para apresentar uma proposta de debate e negociar um acordo bipartidário que se converta em lei. 'A promessa quebrada da reforma da imigração é o grande 'elefante branco' na ligação do presidente com os latinos. É preocupante, pois continua culpando o processo legislativo e não tem coragem para enfrentar um Congresso imaturo', disse à BBC Jorge Mario Cabrera, porta-voz da Coalizão pelos Direitos dos Imigrantes.

'Acreditamos que (Obama) nos apoia de forma incondicional, mas poderia usar sua autoridade para aliviar os problemas dos milhões em situação ilegal', afirmou.

'O problema é que, na prática, Obama deve responder por um número de deportações que, neste ano, vai superar ao número dos mandatos de George W. Bush', disse o pesquisador Erwin de León. 'O desespero de parte do governo em provar sua boa-fé com os hispânicos neste tema, mas sem ações de força, permitiu que aqueles que são contra a imigração e os conservadores em postos de poder definissem o debate', afirmou.

DreamAct
Uma lei prometida por Obama, a DreamAct, permitiria que 2 milhões de jovens em situação ilegal, a maioria latinos, requeressem a cidadania se completassem pelo menos dois anos de estudos no nível superior com bom rendimento acadêmico ou se servissem nas Forças Armadas.Uma versão da lei, com o apoio do presidente e de democratas do Congresso, foi aprovada na Câmara dos Representantes (deputados federais) em dezembro de 2010, mas não conseguiu os votos necessários no Senado.

Na mesa redonda para os latinos, na última quarta-feira, Obama afirmou que a ideia de que ele poderia, de forma unilateral mudar e converter em leis os projetos é 'simplesmente falsa' e voltou a responsabilizar os republicanos. 'É decepcionante, pois pensamos que finalmente teríamos respostas, mas a realidade é que somos dezenas de milhares de jovens que não fizeram nada de errado (...), mas não podemos nos matricular em algumas universidades e não temos direito a ajuda econômica o que, na prática, nos deixa fora do sistema', disse Juan Escalante, da organização DreamActivist.

Fonte: (BBC)

Top News