Publicado em 5/10/2011 as 12:00am

Palestra orienta jovens sobre os perigos das drogas

O palestrante, Luciano Alves, salientou que um dos problemas é o pouco tempo que os pais dedicam para os seus filhos nos EUA

O grupo de Jovens J.U.M.P. - Jovens Unidos por um Mesmo Propósito -  da Comunidade Católica de Everett, esteve reunido no sábado(01), para a apresentação de uma palestra sobre os danos causados pelo uso das drogas.

Zilá Araújo disse ter sido informada que drogas estão sendo oferecidas na escolas, nos parques, e até nos condomínios onde moram muitos dos jovens que participam do grupo. "Realizamos uma palestra contra drogas no ano passado, e estamos repetindo neste dia, pois sabemos que esse mal é um inimigo permanente. Os nossos jovens são alvos fáceis, e por isso temos o dever de informá-los e protegê-los", comenta Zilá, que juntamente com seu marido Edson Araújo e o casal Wanderson e Vanusa Silva, prestam apoio ao grupo de jovens na Paróquia Santo Antônio em Everett há quase dois anos.

Para conduzir a palestra, foi convidado Luciano Alves, da Comunidade Católica de Marlboro. Luciano já foi coordenador do Grupo de Jovens em Marlboro e da Pastoral da Juventude do Apostolado Brasileiro. No contato direto com os jovens, ele conheceu de perto o drama vivido por muitos que se tornaram dependentes químicos. Luciano chamou a atenção para o pouco tempo que os pais dedicam para os filhos nos EUA. "Muitos estão trabalhando dobrado, dizendo que é para o próprio bem dos filhos para dar-lhes um futuro melhor. Os pais não dialogam com os filhos adolescentes sobre as drogas e outros vícios; não lhes dão carinho e amor, e a falta de afeto em casa é o primeiro passo para que o jovem busque as más companhias lá fora", comenta Luciano. 

Eunice Pinto esteve ao lado do filho Leonardo, de 15 anos, durante a palestra. Ela disse que achou muito importante tudo o que ouviu e principalmente porque o palestrante chamou a responsabilidade dos pais para que se dediquem mais aos seus filhos. "Nós temos que ser os primeiros a falar sobre os valores, dar muito amor e carinho e vencer a barreira imposta pela timidez e tornarmos amigos dos nossos filhos, pois não queremos perdê-los para as drogas", comenta Eunice.

"Devemos insistir para que os pais procurem ter um relacionamento mais íntimo com seus filhos", disse Arthur Corbelli. Trabalhar na conscientização dos perigos da drogas é importante, porém conscientizar a família da importância do diálogo aberto e da amizade com os filhos é ainda mais essencial", finaliza Corbelli.

Fonte: (Hercules Werneck)