Publicado em 12/10/2011 as 12:00am

Brasileiros opinam sobre atuação do CRBE

Após os debates realizados em Massachusetts, New York e New Jersey, o BT resolveu ouvir a voz da comunidade brasileira sobre o CRBE - Conselho de Representantes de Brasileiros no Exterior

Após os debates realizados em Massachusetts, New York e New Jersey, o BT resolveu ouvir a voz da comunidade brasileira sobre o CRBE - Conselho de Representantes de Brasileiros no Exterior. O conselho, criado ainda no governo Lula em 2010, surgiu com o objetivo de nomear representantes em todo o mundo para que atuassem para levar as necessidades dos brasileiros  que residem no exterior ao Itamaraty.

Ivaldo Filho, natural de Belém (PA), residente há dezesseis anos em Somerville (MA).

"Eu sei que o CRBE existe, só nunca vi os membros do Conselho fazendo nada pelos imigrantes brasileiros nos EUA. Querem independência e verba, e isso me soa muito estranho, eles tem que começar a trabalhar em nosso favor, isso sim".

 

Ireno Jesus, natural de Goiânia (GO), residente há quatro anos em Somerville (MA)

"Eles têm o dever de levar a voz do povo brasileiro que mora no exterior ao Governo Brasileiro, mas pelo que sei, eles não tem feito a lição de casa. Eles poderiam reivindicar nossos direitos, mas tem sido omissos"

 

Bia Borges, natural de Criciúma (SC), residente há nove anos nos EUA

“Moro há nove anos nos EUA e sou uma pessoa bem informada, escuto o rádio o dia todo no trabalho, leio todos os jornais e nunca vi as propostas do CRBE irem adiante. Não acredito em ninguém que trabalhe de graça, o Itamaraty deveria ter feito o conselho de forma mais organizada "

 

Evandro Batista, natural de Liabá (CE), residente há sete anos em Somerville (MA)

 

"Já ouvi falar do CRBE, e até acho que eles querem o bem da comunidade brasileira nos EUA, mas o conselho ainda não demonstrou nenhuma ação concreta. Eu certamente apoiaria eles se realmente o conselho fizesse alguma coisa”

 

Ilda Souza, natural de Governador Valadares (MG), residente há sete anos em Medford (MA).

 

"Eles nunca fizeram nada por mim. Ficamos aqui só ouvindo planos e mais planos, e nenhuma ação. O conselho deveria ser mais organizado e com pessoas que realmente se preocupam com a comunidade"

 

Hebert Albina, natural de Campinas (SP), residente há dez anos em Natick (MA).

 

"Acho que as relações diplomáticas do conselho com o governo brasileiro não são tão fortes assim,  e por isso, até agora não puderam nos ajudar no que realmente necessitamos. Os imigrantes nos EUA estão preocupados em se legalizarem, o resto não é de extrema importância para nós, e isso eles não podem fazer. Ele querem verba para trabalhar, mas espero que eles saibam o que fazer com ela caso o governo a libere"

Fonte: (da redação)