Publicado em 24/10/2011 as 12:00am

Brasileiro tem deportação cancelada após medida de Obama

Residente nos EUA há 11 anos, Wilson Dutra passou 60 dias preso e já estava com deportação marcada. Medida anunciada por Obama cancelou sua remoção, em agosto

Por Marcelo Zicker


Em agosto,  a administração do Presidente Obama, anunciou mudanças que beneficiaram aproximadamente 300.000 indivíduos que estavam em processo de deportação, detidos.  Os processos entraram em estágio de revisão, e os beneficiados foram soltos e ganharam autorizações de trabalho, que por sua vez, permitiram a concessão do Social Security Number e da carteira de motorista. Um dos primeiros a serem beneficiados pela medida, o mineiro Wilson Dutra, de 37 anos, relata ao BT como a sua vida mudou com a notícia, e como ele planeja o seu futuro a partir da conquista dos documentos.

Residente nos EUA há 11 anos, Wilson saiu de Governador Valadares com os mesmos objetivos da grande maioria dos imigrantes. Propiciar uma melhor qualidade de vida e um leque mais amplo de oportunidades pra si próprio e sua família. Utilizando-se da fronteira com o México para adentrar o país, ele foi descoberto pela Guarda da Patrulha, e teve uma ordem de remoção expedida. Mas Wilson resolveu ficar, e por quase uma década se manteve no anonimato. “ Fiquei preso, depois tive que ir a uma Côrte, mas resolvi não comparecer.  Desde 2000, eu vivia no país sendo procurado pela Imigração mas sempre me comportei corretamente, nunca cometi erros, sempre ‘andei na linha’” afirma Wilson, que trabalha na área de ‘Landscaping’. “Nunca deixei de pagar os impostos, sempre trabalhei duro, criei meus filhos, e finquei raízes no país. Sou feliz morando aqui, sempre quis uma oportunidade de me legalizar para visitar o Brasil de vez em quando, mas nunca pensei em deixar os EUA, isso nunca fez parte dos meus planos” revela ele, que tem a sua própria companhia.

Embora cauteloso, Wilson foi mais uma vítima do azar, ao ir realizar um trabalho em Lexington – MA. “ No caminho para o trabalho, um roubo na cidade causou uma grande blitz promovida pelo ICE com a polícia e todos os carros que estavam passando pelo local foram ‘checados’. Eu fui descoberto durante a abordagem e dias depois a Imigração foi até a minha residência durante a manhã, onde fui preso” afirma Wilson, que permaneceu detido por 60 dias. “ Eles me mandaram para diversas penitenciárias. Fiquei preso em Roxbury – MA, depois fui encaminhado para Pensilvânia, e depois para o Texas. E estava cada vez mais difícil apelar judicialmente para o meu caso” relata o mineiro, que na própria prisão já fazia planos para o retorno para o Brasil. “ Já pensava como ia recomeçar a minha vida, eu estava acostumado com a ideia que iria ser deportado” completa ele, que reside em Melrose- MA.

Após quase dois meses preso, Wilson finalmente teve a sua data de deportação expedida, em Agosto. Coincidentemente, pouco após o anúncio da revisão de 300.000 deportações. “ Eu estava há poucos dias para ser mandado de volta pra o Brasil, quando fui liberado um dia, sem entender nada o que estava acontecendo. Só me disseram que eu deveria ir ao prédio do ICE em Burlington, e pegar meu passaporte” afirma ele, que também foi enviado ao aeroporto de Houston, onde retornou para Boston, ainda confuso com  a decisão. Após chegar em casa, e falar com seu advogado, descobriu que foi um dos beneficiados pela medida de Obama. “Em duas semanas eu recebi minha autorização de trabalho e tirei os outros documentos. A minha vida mudou do pesadelo para o sonho de um dia para o outro. E tenho certeza que teve a ‘mão’ de Deus em tudo isso.  Agora posso andar na rua sem medo, posso dirigir com confiança que não vou ser parado por qualquer motivo e tenho documentação pra trabalhar como qualquer imigrante legal ou americano” afirma ele, que agora pesquisa meios de tentar um processo pedindo a residência permanente. “ Minha autorização só é válida até março, quando vou ter outra audiência. Espero ter a chance de ficar definitivamente no país” diz Wilson, se mostrando otimista.

Medida não é anistia, mas gerou otimismo

Infelizmente, a medida não foi vista como uma anistia, mas gerou otimismo e esperança em prol de uma reforma imigratória segundo ativistas.

Poucos dias após o anúncio, o Centro do Imigrante Brasileiro – CIB, lançou um comunicado explicando a medida, elucidando sobre os principais detalhes do fato. Segundo a entidade, o anúncio foi uma tentativa de "desobstruir" o alto número de casos de deportação, removendo os que tem "baixa prioridade" a fim de se concentrar em indivíduos que tenham antecedentes criminais.

A ‘Alta prioridade para deportação’  incluía indivíduos que representam uma séria ameaça à segurança nacional,  criminosos graves e reincidentes, membros de gangues, ou que tem mais de um registro de violações de Imigração, sendo que as análises não estão limitadas somente a tais critérios. A ‘Baixa-prioridade para deportação’ incluiu indivíduos tais como veteranos; residentes legais; estudantes e outros que chegaram aos EUA quando crianças; mulheres grávidas; vítimas de outros crimes graves e violência doméstica, e cônjuges, incluindo  LGBT, sendo que as análises não foram limitadas somente a tais critérios.

Governo Obama bateu recorde de deportações em 2011

Os Estados Unidos deportaram perto de 400 mil imigrantes indocumentados no ano fiscal de 2011 - o número mais alto desde que o Serviço de Imigração e Controle Alfandegário (ICE, na sigla em inglês) foi criado, oito anos atrás.

Foram deportados 396.906 estrangeiros no ano fiscal que terminou em 30 de setembro, disse a agência na última semana. Em 2010 foram deportadas 393 mil pessoas.

O número destaca a tensão na tentativa do presidente Barack Obama em diminuir as deportações, que aumentam em ritmo constante, e seu desejo de formular uma política imigratória mais popular antes da eleição de 2012. "O total deste fim de ano indica que estamos progredindo, retirando do país mais criminosos condenados, pessoas que cruzaram a fronteira recentemente e foragidos das leis imigratórias", disse John Morton, diretor do ICE.

Pouco mais da metade dos deportados do país foi condenada por crimes relacionados a drogas, dirigir embriagado, homicídio ou crimes sexuais. E aproximadamente 142 mil deportados eram imigrantes descritos pela agência como 'pessoas que cruzaram recentemente a fronteira' ou que violaram repetidamente a lei de Imigração.

Fonte: (da redação)