Publicado em 26/10/2011 as 12:00am

Brasileiros processam casal em Martha's Vineyard

Segundo o advogado dos brasileiros, o casal que atua em uma empresa de desenvolvimento imobiliário, deve um total de U$S110 mil aos seus clientes

Quatro brasileiros, que trabalham na construção civil, iniciaram neste mês, um processo contra um casal em Martha´s Vineyard alegando falta de pagamento. Não foi informado qual a situação “migratória” dos quarteto, mas o advogado alegou que isso não influencia em nada e que qualquer pessoa que trabalha tem direito de receber, independente de quem seja.

Segundo o advogado, o casal que atua em uma empresa de desenvolvimento imobiliário, deve um total de U$S110 mil (cerca de R$ 200 mil), dinheiro que deveria ser pago pela renovação de uma das casas dos acusados. Somente um dos trabalhadores afirma que ele tem $47 mil (pouco mais de R$ 82 mil) para receber em salários e horas extras.

O advogado dos brasileiros disse que quando procurou o casal para tentar um acordo, ficou surpreso quando os acusados negaram conhecer os trabalhadores. Mas depois admitiram conhecer alguns deles, mas alegaram que foram contratados de forma independente e não como empregados diretos. “Os salários deles foram pagos através de contas pessoas e negócios com o dono da casa”, se defendem.

O advogado do casal chama este processo judicial de “algo sem fundamento” e afirma que os brasileiros estão agindo como mentirosos, “pois jamais foram explorados”. Os acusados solicitaram que um tribunal federal julgue o caso.

Em sua defesa, o casal apresentou um documento que mostra que um imigrante iraniano foi o empreiteiro contratado para fazer a reforma na casa e que em 2010 ele saiu do país. “Foi então que assumimos o papel de contratante”, fala um dos acusados.

O processo de acusação alega que entre novembro de 2009 e abril de 2010, um trabalhador recebeu apenas U$S5 mil (cerca de R$ 8.800,00) por mais de 1800 horas de trabalho. Os três outros brasileiros apresentaram queixas semelhantes.

Fonte: (Luciano Sodré)