Publicado em 31/10/2011 as 12:00am

'Não faria nada para ajudar as crianças indocumentadas'

afirmacao

A pré-candidata Michelle Bachmann disse no sábado(29), que ela não faria nada para ajudar as crianças, filhos de imigrantes, que reside ilegalmente no país.

Durante uma parada da campanha que vem fazendo para representar o partido republicano em Iowa, Bachmann foi indagada por uma estudante latina da região, o que ela poderia fazer para beneficiar os filhos de imigrantes indocumentados. A candidata reinterou o seu posicionamento duro com relação ao tema, afirmando que o governo não deveria conceder a eles a cidadania, e que ela ‘não poderia fazer nada’ para ajudá-los.

“Os pais são aqueles que trouxeram eles para cá. Eles não tinham o direito legal de adentrar os Estados Unidos” disse ela. “ Nós não devemos nada a pessoas que burlaram as nossas leis vindo para o nosso país. A gente não deve nada a eles” afirmou a presidenciável.

Quando falou sobre o mesmo assunto em outra parada da campanha, ela foi ainda mais longe no tom de seu discurso, falando que gostaria de assinar uma lei proibindo de vez os filhos de imigrantes indocumentados de se tornarem cidadãos. “ Temos que acabar com esse programa de se ancorar nos filhos para ficar no país” afirmou a republicana.

Quando perguntada em um debate ocorrido em Las Vegas, se ela apoia a mudança no 14th emenda da constituição, ela afirmou que o tema da Imigração não lida com o problema constitucionalmente, mas pode ser tratado no âmbito legislativo. “Existem muitos americanos como nós que gostariam que resolvêssemos esse problema logo” afirmou ela.

Republicano afirmou que irá construir cerca elétrica para barrar Imigração

O presidenciável republicano, Herman Cain, disse no dia 15 de Outubro, que em seu projeto de governo haverá um combate rígido à imigração ilegal. Segundo ele, uma de suas propostas é a construção de uma cerca eletrificada na fronteira entre os Estados Unidos e o México. O pretenso candidato salientou ainda que a força elétrica deveria ter capacidade de matar os imigrantes que tentarem entrar ilegalmente no país.

Herman acrescentou ainda que está analisando colocar em seu programa de governo, o uso de tropas militares fortemente armadas, prontas para atirar e matar quem atravessar a fronteira. “Quem entra ilegalmente é um invasor e está entrando em nosso país para usurpar algo que nos pertence. Não podemos permitir que isso continue”, fala.

Esta não é a primeira vez que Cain defende a ideia de uma cerca eletrificada na fronteira e apresenta propostas polêmicas para conter a imigração ilegal. O presidenciável explica que o muro teria 20 metros de altura com arame farpado no topo e eletrificado. “Do lado mexicano, teria dizeres alertando os propensos invasores de que se tentar entrar poderá ser morto pela cerca”, fala salientando que o aviso poderia ser escrito em inglês e espanhol. A apresentação desta proposta foi feita durante um discurso na Tennessess Tech University, em Cookeville, no Tennessee. Ao concluir o seu raciocínio, o republicano disse que “os Estados Unidos sempre foram uma nação de portas escancaradas e que a sua sugestão é tornar mais fácil para as pessoas entrarem pela frente. Por isso quero fechar de uma vez a porta dos fundos”.

Fonte: (da redação)