Publicado em 6/11/2011 as 12:00am

Nadador medalha de Ouro fala ao BT

Felipe Lima reside nos EUA, e é um dos novos talentos do esporte nacional

Por Cláudia Carmo


O nadador medalha de ouro e prata nos Jogos Pan-americanos de Guadalajara, Felipe Lima, esteve em Cuiabá para prestigiar o 10° Festival Cururu Siriri do Mato Grosso e falou com exclusividade ao BT sobre sua carreira e porque escolheu morar nos EUA.

Cuiabano, Felipe mora no Sul da Flórida há dois anos e após conquistar a medalha de ouro na modalidade peito, 4 por 100m no revezamento,  e medalha de prata nos 100 metros peito, o atleta veio ao Brasil para comemorar com sua família a conquista.

Brazilian Times – Como foi trabalho desenvolvido na conquista da medalha de ouro, entre treinamentos e rotina diária?

Felipe Lima – Esta foi a segunda vez que participei dos jogos Pan-americanos, a primeira vez foi no Rio-2007 e ganhei medalha de prata na minha modalidade ,peito, 4 por 100m no revezamento. Foi um aprendizado e me deu base para me preparar ainda mais para essa conquista.

BT-  Porque você escolheu morar nos EUA?

Felipe Lima – Porque o país tem uma estrutura melhor para eu treinar, e gera um incentivo maior aos esportes e as competições na natação, que também acontece aqui com maior frequência. Nos EUA, tenho a oportunidade de participar de diversas competições importantes com adversários fortes do mundo inteiro, os mesmos que eu irei enfrentar nos grandes campeonatos mundiais e isso me ajuda no preparo para as grandes competições.

BT – Você acredita que o esporte nos EUA é mais valorizado  que no Brasil?

Felipe Lima – Nos EUA,  qualquer modalidade de esporte tem o incentivo e apoio do Governo, logo o país é uma grande potência nos esportes. As crianças começam a treinar com responsabilidade nas escolas desde pequenas, por isso eles tem tantos talentos no esporte em geral. No Brasil não há este incentivo,  e as crianças que tem talento não tem oportunidade, porque não são descobertas, pela falta de investimento neste setor.

BT – O que te levou a escolher a Natação como o seu esporte?

Felipe Lima – Comecei a nadar aos 12 anos por indicação médica. Desde pequeno,  sempre gostei de praticar vários tipos de esportes, mas quando cheguei na natação,  me adaptei e resolvi continuar.

BT- Quantos torneios e competições você já ganhou?

Felipe Lima -  Não me lembro no momento, tenho que fazer uma pesquisa ( risos), mas já ganhei muitos. Fui campeão brasileiro várias vezes, recordista Sul-americano, medalhista em etapas da Copa do Mundo e do mundial universitário, onde participam quase todas as elites da natação mundial.

BT- O que significa para você cada medalha que ganha?

Felipe Lima – Essas medalhas são um orgulho e satisfação de trabalho cumprido. Vem de reconhecimento ao meu esforço e o que eu estou fazendo esta dando certo.Essas medalhas são para coroar os meus treinamentos e me incentivar para continuar buscando meus objetivos.

BT- Quem são os maiores incentivadores na sua carreira?

Felipe Lima – Sem dúvida, meus pais. A participação deles na minha carreira é fundamental para me impulsionar em todas as competições. Meus pais são preocupados em me fazer continuar cuidando de mim na parte psicológica e de alimentação para eu desenvolver o melhor trabalho em cada competição.

BT – Como você se prepara para ser um bom atleta e qual a dica que você dá aos que pretendem investir nessa carreira?

Felipe Lima – Como eu treino de 10 a 11 horas por dia, de segunda a sábado, alguns cuidados tem que ser tomados.Em época de treinamento não se pode extrapolar. Tem que dormir cedo, descansar o tempo necessário, se alimentar adequadamente para repor as energias e estar focado sempre no que quer, manter o objetivo em mente e sempre trabalhar pensando nas coisas que tem que fazer. Isso não só para os atletas , mas serve para a vida de qualquer um que tenha uma objetivo de ter uma carreira bem-sucedida em qualquer área.

Fonte: (da redação)